Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Uma nova espécie de Cosmocercoides (Nematoda: Cosmocercidae) em Osteocephalus taurinus (Anura: Hylidae) da Amazonia meridional Brasileira
Samuel Ferreira Dos Anjos, Gabriel de Oliveira de Almeida, Domingos de Jesus Rodrigues

Última alteração: 09-10-19

Resumo


O gênero Cosmocercoides Wilkie, 1930 é principalmente parasito de anfíbios e repteis, com algumas espécies encontradas em moluscos. O mesmo foi proposto para acomodar C. pulcher e C. tridens, descritos originalmente parasitando anfíbios. Nós descrevemos aqui Cosmocercóides n. sp., com base em espécimes do intestino grosso e delgado de Osteocephalus taurinus na amazônia meridional Estado do Mato Grosso, Brasil. Os anfíbios foram mortos com injeção de lidocaína 2% e os órgãos foram analisados. Os parasitos encontrados foram fixados em álcool 70% e clarificados em lacofenol de Aman a 20% e analisados em microscopia de luz. Também foi realizada microscopia eletrônica de varredura, onde os nematoides foram pós-fixados em O2Os4 a 1%, desidratados em série etanólica até secagem ao ponto crítico em CO2, cobertos com ouro e examinados no microscópio Tescan Vega3 da Universidade Federal Rural da Amazônia, Pará. A nova espécie é atribuída ao gênero Cosmocercóides pela presença de papilas rosetas (papilas caudais complexas cercadas por pontuações). Cosmocercóides meridionalis difere de seus congêneres pela combinação de caracteres: ausência de gubernáculo, comprimento total da fêmea (o dobro do tamanho do macho) e a presença de 13 pares de rosetas com arranjo e padrão de distribuição único, sendo 11 pares pré-cloacal ventral, 1 par adcloacal e 1 par pós-cloacal. Esta é 27ª espécie de cosmocercóides representando a primeira espécie descrita para este gênero na Amazônia, com primeiro registro em anuro da família Hylidae.

 


Palavras-chave


cosmocercidae, nematoda, parasitologia