Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Qualidade de vida no trabalho e sua relação com o estresse ocupacional entre trabalhadores da enfermagem.
Thaís Pedroso Martins Souza, Antônio César Ribeiro

Última alteração: 24-10-19

Resumo


A Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) e o estresse o ocupacional são construtos relevantes que tem sido investigado por diversos estudiosos. A compreensão da qualidade de vida (QV) passa por vários conceitos que estão relacionados a percepção subjetiva do indivíduo sobre sua vida e satisfação, o poder de tomada de decisões, relacionamentos pessoais e o seu entorno social. Já a Qualidade de Vida no Trabalho é compreendida como a resultante das condições e circunstancias do trabalho e seu ambiente. O estresse ocupacional pode ser definido como um conjunto de processos de regulação do bem-estar, ativados frente a estímulos avaliados como produtores de mal-estar físico, social ou psicológico, e cujas repercussões são observadas por meio de alterações nos funcionamentos neuroendocrinológico e mental. A baixa qualidade de vida no trabalho e o estresse, na área da saúde, geralmente estão associadas a problemas de relacionamento da equipe multidisciplinar, ambiguidade e conflito de funções, dupla jornada de trabalho, alterações sofridas dentro do contexto de sua atividade e a alta demanda exigida. Neste contexto, a profissão da enfermagem se destaca dadas as características e circunstancias do seu trabalho. Tais fatores podem intervir na qualidade de vida do trabalhador e, consequentemente, na qualidade da assistência prestada ao paciente. Portanto, conhecer os aspectos que podem comprometer o bem-estar do profissional de enfermagem no seu ambiente de trabalho e evitar ou diminuir o estresse vivenciado por estes é importante para melhorar a sua qualidade de vida no trabalho. O objetivo da proposta do estudo será avaliar a qualidade de vida no trabalho e sua relação com o estresse ocupacional entre enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem no modelo clinico hospitalar, em Cuiabá-MT. Trata-se de uma proposta de estudo epidemiológico, descritivo, com delineamento transversal. Os dados serão coletados por meio de três instrumentos: o primeiro será um questionário fechado que buscará definir o perfil sociodemografico e ocupacional dos indivíduos e será aplicado por meio de entrevista direta; o segundo e terceiro serão escalas do tipo likert, pré-validados, com questões que buscam definir o nível de estresse ocupacional e a qualidade de vida no trabalho.  O projeto será, em tempo, submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) do hospital onde será realizado o estudo, de forma que todas as prerrogativas legais sejam seguidas.

Palavras-chave


Estresse ocupacional; Qualidade de Vida no Trabalho; Enfermagem