Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
MODULAÇÃO AUTONÔMICA CARDÍACA ESTÁ CORRELACIONADA COM INDICADORES DE OBESIDADE E A RESPOSTA AGUDA À INGESTÃO DE DEXTROSE EM ADULTOS SAUDÁVEIS
Caroline Maria Oliveira

Última alteração: 30-09-19

Resumo


Introdução: A obesidade e a ingestão de alimentos, sobretudo, os carboidratos simples, podem causar aumento da atividade do sistema nervoso simpático e, por conseguinte, a redução da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Objetivo: Avaliar a correlação entre os indicadores de obesidade, a glicemia em jejum e após ingestão de dextrose com modulação autonômica cardíaca em adultos saudáveis. Método: Foram avaliados 73 indivíduos, de ambos os sexos (46 mulheres e 27 homens), com 27,14 ± 5,45 anos, massa corporal (MC) de 77,40 ± 18,63 kg, IMC de 28,33 ± 6,03 kg.m-2; 34,91 ± 9,43%GC – determinado por bioimpedância, dos quais 41 com sobrepeso/obesidade, não fumantes e sem patologias diagnosticadas (pressão arterial sistólica 110,79 ± 11,49 e diastólica 70,85 ± 8,14 mmHg). A VFC (Polar RS800CX) foi analisada após jejum de 12h e 15 min de repouso, 30 e 60 min após a ingestão de bebida de dextrose (0,5g/Kg de MC). Os índices de VFC avaliados nos 10 min finais de cada condição (jejum, 30 e 60 min após a ingestão de dextrose) foram: índices não lineares - desvio padrão dos intervalos R-R instantâneos (SD1) e desvio padrão dos intervalos R-R analisados em longo prazo (SD2); domínio do tempo - raiz quadrada da média das diferenças sucessivas ao quadrado entre iRR adjacentes (RMSSD), desvio padrão de todos os iRR normais (SDNN), porcentagem dos intervalos R-R adjacentes com diferença de duração maior que 50 ms (pNN50). A normalidade dos dados foi testada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov, seguido pela correlação linear de Spearman Ranks (p<0,05). Resultados: A glicemia aumentou significativamente após 30 min (142,45 ± 21,08 mg/dl) da ingestão de dextrose e manteve-se elevada após 60 min (136,11 ± 24,99 mg/dl) comparada ao jejum (92,23 ± 8,28 mg/dl). Os indicadores de obesidade se correlacionaram significativamente com a glicemia em jejum, e aos 30 e 60 min após a ingestão de dextrose (rho: 0,243 a 0,356) e com a pressão arterial (rho: 0,408 a 0,664), assim como, correlacionaram-se significativamente com os índices de VFC, sobretudo o pNN50, tanto em repouso, quanto após a ingestão de dextrose (rho: - 0,242 a -0,501). Da mesma forma, a glicemia se correlacionou com os índices de VFC nas diferentes condições (rho: -0,247 a -0,260). Conclusão: A modulação autonômica cardíaca correlacionou-se aos indicadores de obesidade e a resposta glicêmica frente ao estresse metabólico, mesmo em adultos saudáveis.


Palavras-chave


obesidade, carboidrato, variabilidade da frequência cardíaca.