Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Diagnóstico virológico, molecular e investigação soroepidemiológica de arbovírus circulantes em pacientes com doença febril aguda no estado de Mato Grosso entre 2018-2019
Marcelo Adriano Mendes dos Santos, Nilvanei Aparecido Neves, Raquel Silva Ferreira, Janeth Aracely Ramirez Pavon, Renata Dezengrini Slhessarenko

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Arbovírus são responsáveis por 30% dos eventos de doença infecciosa emergente no Brasil e no mundo, representando importante problema de saúde pública principalmente em áreas tropicais como o Mato Grosso. Os elevados índices de infestação vetorial, associados ao clima propício e população susceptível, fazem do nosso Estado ambiente propicio para a ocorrência de surtos de arboviroses, justificando a importância do desenvolvimento de metodologias rápidas, sensíveis e específicas para o diagnóstico de arboviroses, bem como de se manter vigilância constante nas epidemias para os vírus circulantes, direcionando assim o treinamento dos agentes de saúde. O objetivo geral deste estudo é estabelecer metodologias de diagnóstico diferencial e de situação das infecções pelos arbovírus dos gêneros Alphavirus, Flavivirus e Orthobunyavirus em pacientes do Estado de Mato Grosso. Para isso, pretende-se desenvolver metodologias de diagnóstico baseadas em RT-PCR para região de envelope e isolamento viral em células humanas HuH7 para diferentes arbovírus circulantes no Brasil, e em Mato Grosso, identificados por sequenciamento de alta performance (HTS) pela plataforma illumina HiSeq 2500, seguidos de análise filogenética e filogeográfica dos vírus presentes em amostras de soro de pacientes com doença febril aguda suspeita de arboviroses atendidos em unidades de saúde vinculadas à Secretaria Estadual de Saúde durante os anos de 2018 e 2019, e enviadas ao LACEN-MT. As sequencias ou contigs obtidos no HTS serão analisadas pelo programa Geneious nas plataformas do NCBI: BLASTn, BLASTx contra o banco de sequencias de referência viral. Esses dados serão usados para construção de árvores filogenéticas no programa MEGA ou Geneious, e para delinear insumos (iniciadores) no Geneious, para o desenvolvimento de protocolos específicos de RT-PCR para os agentes/variantes encontrados. As amostras positivas pelo HTS serão inoculadas em células humanas HuH7, comparando-se este protocolo ao isolamento feito em células Vero (célula de rim de primata, usada para isolar Alphavirus e Orthobunyavirus) e/ou C6/36 (célula de larva de aedes albopictus, usada para Flavivirus). Os resultados parciais obtidos até o momento incluem: o estabelecimento das três linhagens celulares no laboratório de virologia da UFMT, a extração de RNA viral das amostras de soro (n=67) já obtidas do ano de 2018, síntese de cDNA randômico viral, fita dupla de cDNA, PCR randômico em quintuplicata e purificação do DNA final. Esse DNA, quantificado, foi submetido a síntese da biblioteca de sequenciamento específica para a plataforma illumina, e enviada para sequenciamento no Setor de Inovação do Instituto Evandro Chagas. Paralelamente, com os dados de 2018, foi realizado estudo para se determinar o perfil epidemiológico da infecção por arbovírus em Mato Grosso, cujo resumo será apresentado no XXX Congresso Brasileiro de Virologia em outubro próximo. Amostras referentes ao ano de 2019 (n=75) já foram aliquotadas no LACEN, e estão preservadas a -80, no aguardo da confirmação da eficácia do protocolo de extração de RNA e análise das primeiras amostras, cujos resultados são aguardados. As células amplificadas e estocadas em nitrogênio líquido também aguardam os resultados do primeiro sequenciamento para seleção das amostras e inoculação em cultivo celular (Vero, HuH7 e C6/36).


Palavras-chave


arbovírus, sequenciamento de alto rendimento, isolamento viral