Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
CINEMA BRASILEIRO NO COMEÇO DO SÉCULO XXI: ENTRE O MERCADO E A POLÍTICA
Felipe Biguinatti Carias

Última alteração: 07-10-19

Resumo


O cinema brasileiro no começo do século XXI reaqueceu o debate político nacional, tanto pelos agentes que compactuaram com as narrativas fílmicas, como para os que criticaram em relação ao fortalecimento do capitalismo nas películas. O respectivo trabalho tem como finalidade olhar para ambas as críticas e perceber até que ponto a crítica negativa não interpretou os filmes a partir do saudosismo ao modo e a concepção de cinema e política para o Cinema Novo. A crítica, do ponto de vista do capitalismo contemporâneo, possui reflexões pertinentes, no entanto, ao fazer isso, esgarçou o debate político presente no campo estético e recepção das obras. A sustentação da hipótese será exercida a partir da compreensão do conceito de cultura e política para o século XVIII e XIX, a partir de Terry Eagleton, e o século XXI, por Claudio Marcondes e Evgeny Morozov. Para ambos os autores, a exploração social por meio do refinamento do espírito; progresso; tecnologia só foi possível pela separação entre cultura e política, tendo o primeiro um sentido a priori sobre o tempo; projeto político que não está presente na produção cinematográfica brasileira do começo do século XXI, pelo contrária, a sua dinâmica é de incômodo e alteridade.


Palavras-chave


Cinema; Alteridade; Política