Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O impacto do uso de Cúrcuma Longa L. em pacientes com transtornos depressivos
Wanderson Hugo Drescher, Rayane Cristine Provin Negrão, Ana Carolina Pinheiro Volp

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Segundo a Organização Mundial da Saúde (2017) 5,8% da população brasileira é atingida por Transtornos Depressivos (TD), os quais caracterizam-se como as doenças mentais mais comuns, dentre elas o TD maior, TD induzido por substâncias/medicamentos, entre outros. Apresentam-se como as maiores causas de anos de vida perdidos, devido as dificuldades ao lazer, família, amigos e trabalho, ainda, são afetadas por doenças que geram diversas incapacidades ao indivíduo, e sobrecarrega os cofres públicos. Os TD possuem variadas maneiras de classificação, com objetivo de avaliar sua intensidade. O tratamento tradicional envolve abordagens medicamentosas e psicológicas. Atualmente vem sendo levantado o papel da alimentação como potente atenuante nos TD, operando como aliada ou gatilho para os sintomas. Considera-se que alguns compostos bioativos/nutrientes estão envolvidos no TD, logo, a atenção ao consumo alimentar é fundamental. Estudos experimentais investigaram a ação antidepressiva da Cúrcuma Longa L.(CLL.) e seu efeito modulador sobre os substratos neurobiológicos associados ao TD, além de sua participação como coadjuvante no tratamento de doenças crônicas. Popularmente conhecida como açafrão da terra, a cúrcuma possui propriedades farmacêuticas que estão relacionadas aos teores de compostos bioativos presentes denominados curcuminóides, entre elas antioxidante, antitumoral, anti-inflamatório e antiaterosclerótico, dados que derivam grande parte de estudos in vitro e experimentais e um número limitado de ensaios clínicos. Em vista disso, o objetivo do trabalho será identificar o impacto do uso de CLL. em pacientes diagnosticadas com TD moderado e grave. Foi proposto a construção de um ensaio clínico intervencionista e autocontrolado, que será realizado com mulheres, adultas (20 a 59 anos), com diagnóstico de TD, atendidas na unidade psicossocial do Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM). Na primeira fase serão coletadas medidas antropométricas (peso atual/habitual, altura, circunferência de cintura, circunferência de quadril, Índice de Massa Corporal). Para avaliar a intensidade do TD será utilizado o Inventário de Depressão de Beck (BDI), validado por Gorestein e Andrade (1996). Para avaliar o consumo alimentar será calculada a média de 3 recordatórios de 24 horas. Na segunda fase, as participantes serão alocadas em 5 grupos aleatoriamente. O primeiro receberá orientações sobre alimentação saudável; o segundo receberá orientações com ênfase em alimentos com efeito antidepressivo; o terceiro receberá orientações de alimentação saudável e sobre o uso e entrega da suplementação do extrato seco do rizoma de CLL.; o quarto receberá orientações quanto alimentação com ênfase em alimentos com efeito antidepressivo e sobre o uso e entrega da suplementação do extrato seco do rizoma de CLL.; o quinto será o grupo controle, com orientações médicas já habituais. As pacientes serão acompanhadas por 60 dias, e após, será reaplicado os instrumentos da primeira fase. A análise estatística se consistirá de análise descritiva (média, desvio padrão, mediana, intervalo interquartil), teste de Shapiro-wilk a 5% para verificar distribuição dos dados, os testes de Wilcoxon-Mann-Whitney-U e/ou Test T de Student para comparar os grupos e os efeitos das intervenções. A pesquisa planejada respeitará os aspectos éticos previstos na resolução da CONEP/CNS Nº466/2012, sendo encaminhada ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos do HUJM, para aprovação.

Palavras-chave


Transtorno Depressivo; Cúrcuma Longa L.; Açafrão da Terra;