Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE FEIJÃO-CAUPI COINOCULADO COM BACTÉRIAS PROMOTORAS DO CRESCIMENTO DE PLANTAS E SUBMETIDO A ESTRESSE HÍDRICO
Júlio José Nonato, Tonny José Araújo Silva, Edna Maria Bonfim-Silva

Última alteração: 06-10-19

Resumo


Com a possibilidade de cultivo do feijão-caupi em terceira safra no Estado de Mato Grosso, na qual está compreendido o início do período de estiagem, torna-se necessário o fornecimento de água via irrigação para o pleno desenvolvimento cultura. Tendo em vista que existe interação entre a inoculação com bactérias promotoras do crescimento de plantas e o consumo de água pelos vegetais, o presente estudo teve por objetivo avaliar a inoculação destes microrganismos em feijão-caupi submetido a níveis de água no solo. O experimento foi realizado em casa de vegetação na Universidade Federal de Mato Grosso, Câmpus Universitário de Rondonópolis – MT, utilizou-se como substrato Latossolo Vermelho distrófico coletado em área de Cerrado, que posteriormente foi peneirado e incubado com calcário. Sementes de feijão-caupi cv. BRS Guariba foram tratadas com inoculante líquido comercial de Bradyrhizobium sp. e coinoculadas com inoculante líquido comercial contendo Azospirillum brasilense das estirpes AbV5 e AbV6. Posteriormente semeadas em vasos com capacidade para 5 dm-3, que previamente foram preenchidos com o solo após a incubação. Para o manejo da irrigação foi utilizado a curva característica de retenção de água no solo proposta por van Genuchten para estabelecer a quantia de água a ser aplicada diariamente. Para manter a umidade do solo nos tratamentos das tensões de 0, 15, 30, 45 e 60 kPa, diariamente foram mensuradas a umidade por meio de tensiômetro implantado em cada unidade experimental. O início da variação da umidade do solo se deu aos 10 dias após a emergência, e decorridos 15 dias do início do estresse hídrico avaliou-se a altura de plantas, considerando da base rente ao solo até o ápice da haste principal, e o diâmetro de caule, considerado logo após a cicatriz dos cotilédones. Ambos os resultados apresentaram regressão polinomial de ajuste quadrático com decréscimo a medida em que se aumentou a tensão de água no solo. A tensão de 0 kPa apresentou a maior altura e diâmetro, 25,49 cm e 4,44 mm, respectivamente. A inoculação com bactérias promotoras do crescimento não influenciou nas variáveis analisadas. Para o feijão-caupi, a condição de solo saturado apresentou maior desenvolvimento das plantas.

Palavras-chave


Vigna unguiculata L.; Azospirillum brasilense; Bradyrhizobium sp.; tensão de água.