Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ALIMENTOS FONTES DE AÇÚCARES DE ADIÇÃO PRESENTES NA DIETA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS
Paula Costa Cunha, Ana Paula Muraro

Última alteração: 01-10-19

Resumo


O termo açúcar de adição refere-se a todo mono ou dissacarídeo acrescentado aos alimentos ou bebidas durante suas preparações, portanto são os adoçantes calóricos adicionados aos alimentos durante o processamento como os refrigerantes, sucos, biscoitos e doces; além dos adicionados nas preparações ou a mesa, excluindo os açúcares encontrados naturalmente nas frutas e no leite. O estudo em questão tem como objetivo identificar os principais alimentos fontes de açúcares de adição da dieta dos estudantes universitários. Trata-se de um estudo transversal, com estudantes universitários de 16 a 25 anos ingressantes em 21 cursos de turno integral nos anos de 2016 a 2018. Os estudantes responderam a um questionário estruturado com questões demográficas e socioeconômicas, além de um Recordatório de 24 horas para avaliação do consumo alimentar. Os itens alimentares relatados foram agrupados em 39 grupos alimentares, sendo apresentados os 20 alimentos que mais contribuíram para o consumo de açúcares livres. As análises foram estratificadas segundo sexo e classe econômica (em três classes segundo o Critério Brasil da ABEP: Classe A; Classe B; e Classes C, D e E). Foram avaliados 1.063 estudante,  49,6% do sexo masculino. A média do consumo energético foi de 2.349Kcal, e a participação do consumo de açúcar de adição foi de 16,4%, sem diferença significativa entre os sexos e classes econômicas. Os alimentos que mais contribuíram para o consumo de açúcares livres dos universitários foram: doces e sobremesas (21,8%), sucos (20,6%), refrigerantes (17,3%), cafés (8,4%), biscoitos doces (6,2%) e bolos e tortas doces (6,0%). Refrigerantes e sucos foram os dois principais fontes de açúcares livres entre os estudantes do sexo masculino (20,5 e 20,4%, respectivamente), entre as mulheres, doces e sobremesas ocuparam o primeiro lugar no ranking (24,2%). Os mesmos grupos de alimentos citados a cima representam a maior parte do consumo nas três classes econômicas analisadas, com destaque para os refrigerantes que mostraram maior participação nas classes mais elevadas (22,7% na classe A, 17,8% na classe B e 14,9% nas classes C, D e E). Foi possível observar a elevada participação dos açúcares livres na dieta dos estudantes universitários, independente da classe econômica e do sexo, sendo os principais alimentos fonte considerados, em sua maioria, alimentos ultraprocessados. Portanto o ambiente universitário representa um importante espaço para que esses estudantes tenham opções saudáveis no seu dia a dia. A implantação de políticas que visem melhorar a qualidade dos alimentos ofertados, tanto em espaços institucionais quanto em ambientes que sejam terceirizados, propiciará a promoção da saúde desse grupo populacional, a curto e a longo prazo.

Palavras-chave


Açúcar de adição; Alimentação; Universitários.