Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Impacto de herbicida em micronutriente no solo
Teane Taffarel

Última alteração: 02-10-19

Resumo


O uso de grandes áreas pela agricultura, aumento de pragas e doenças, e cultivo de transgênicos foram alguns dos fatores decisivos para tornar o Brasil o maior consumidor de defensivos agrícolas do mundo. Além disso, o herbicida glifosato foi considerado o ingrediente ativo mais utilizado no Brasil. Contudo, o glifosato pode interferir na disponibilidade de nutrientes no solo. Desse modo, o objetivo foi avaliar se o glifosato influencia a disponibilidade de Manganês (Mn) em dois solos com texturas contrastantes, já que o Mn é considerado um micronutriente essencial ao cultivo de plantas, sendo o segundo mais abundante nos solos. Os solos foram coletados em Sinop (MT), em áreas de mata nativa numa profundidade de 0-20 cm. A classificação apontou os solos como Latossolo Vermelho-Amarelo (LVa) e Neossolo Quartzarênico (RQ). As amostras foram passadas em peneira de 2mm (TFSA), e armazenadas em local fresco e arejado. As concentrações de glifosato foram calculadas de 0, 1, 5, 20 e 50 vezes a dose recomendada (2,5 L ha-1), que resultaram nos valores de 0, 0,9, 4,5, 18 e 45 Kg ha-1 e.a. do produto comercial RoundUpRead®. O herbicida foi dissolvido com cloreto de cálcio (CaCl) à 0,01 M. As concentrações de Mn foram de 0, 30, 50, 80 e 110 mg L-1 de sulfato de manganês, o solvente foi CaCl à 0,01 M. O método de sorção foi o de “batch”. Em tubos de ensaio, foram inseridas 2 g de TFSA, 5 mL de glifosato, e 5 mL de Mn. Os tratamentos foram agitados por 6 h em agitador horizontal à 180 rpm. Em seguida, passaram por centrífuga à 3.000 rpm por 10 min, em temperatura ambiente. A fase sólida foi descartada. Com a fase líquida determinou-se as concentrações finais de manganês, através de um espectrofotômetro de absorção atômica. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado (DIC), num esquema fatorial 2x5x5 (dois solos x 5 concentrações do Mn x 5 concentrações de glifosato), com três repetições por amostra. Os resultados preliminares apontam que o glifosato só interfere na disponibilidade de Mn na concentração de 100 mg L-1, em ambos os solos.  A alta concentração de Mn livre pode ter formado quelatos com o glifosato, diminuindo sua disponibilidade na solução. Os solos, com texturas contrastantes, só diferiram entre si nas concentrações mais altas de Mn, em 50, 80 e 100 mg L-1. Essa discrepância pode ter sido resultado das maiores interações de Mn com o solo argiloso, possivelmente devido à maior CTC do que em RQ. O glifosato diminui a concentração de Mn na solução do solo, caso a concentração de Mn estiver muito alta.


Palavras-chave


Sorção, Solo, glifosato, manganês.