Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Mecanismo de tolerância de plantas daninhas de interesse econômico ao herbicida glyphosate
Aline Katiane Silva Freitas

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Resumo: Objetiva-se com esse trabalho verificar quais mecanismos conferem tolerância da planta daninha Buva (Conyza canadensis) ao herbicida glyphosate. Neste contexto, é importante estudos visando identificar se o mecanismo de tolerância para essas espécies seria um mecanismo morfológico, associado à absorção da molécula via epiderme, ou seria um mecanismo fisiológico, com certa insensibilidade da enzima EPSPs ao glyphosate. Os experimentos estão sendo conduzidos em casa de vegetação em Sinop – MT, foram instalados em delineamento de blocos casualizados, composto pela combinação de doses sem aplicação, dose de registro e duas vezes a dose de registro do herbicida glyphosate, aplicado aos 20, 30, 40 e 50 dias após a emergência das sementes. Para avaliação da expressão gênica da enzima que atua na rota metabólica na qual o herbicida age e avaliação da concentração do herbicida, assim como, de seus metabolitos na planta, estão sendo coletadas amostras da parte aérea nos respectivos estágios de desenvolvimento após a emergência. As variáveis agronômicas estudadas são: altura das plantas e fitomassa seca, massa seca de raízes; volume radicular; quantidade de cera epicuticular; caracterização da superfície foliar em função da idade das plantas; área foliar específica e o número de folhas das plantas em cada estágio de desenvolvimento. De maneira geral, a ênfase principal é explorar as características morfológicas e fisiológicas da planta daninha e com as informações obtidas utilizá-las para o aprimoramento sobre as questões relacionadas à tolerância que seu sistema fisiológico apresenta sob a molécula química.

Palavras-chave


Buva, EPSPS, estagio de desenvolvimento