Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Aplicação de métodos elétricos na modelagem estrutural de litotipos da zona interna da Faixa Paraguai, Cuiabá (MT)
henrique jovenil silva vieira aquino

Última alteração: 09-10-19

Resumo


O estudo da evolução geológica envolve, classicamente, a cartografia das unidades geológicas, o mapeamento das estruturas, a interpretação de fotografias aéreas e de imagens de satélites e a construção de perfis geológicos. Devido sua praticidade e relativo baixo custo, a geofísica nos últimos anos vem tendo muito destaque na obtenção de dados geológicos.  Neste trabalho utilizaremos o a geologia clássica, (mapeamento geológico e estrutural) e métodos geoelétricos, (eletrorresistividade e polarização induzida). O objetivo desse estudo, é fazer um mapeamento geológico de grande escala, com foco na identificação litológica e estrutural das rochas locais, posteriormente fazer 4 linhas de caminhamento geofísico sobre a região previamente mapeadas, o tamanho das linhas será entre 500 a 1000m a depender do afloramento, o arranjo geofísico utilizado será planejado para identificar estruturas centimétricas , devido a isso a profundidade será reduzida, o que não será um problema pois os afloramento possuem no máximo 4m de altura. Com ambos os dados tanto geofísico quanto geológico, poderemos associar as anomalias elétricas a feições mapeadas, passo fundamental para criação de um modelo geofísico-geológico das rochas da cidade de Cuiabá, esse modelo permitirá identificar, zonas de maior e menor permeabilidade com finalidade de aplicação prática na hidrogeologia, geologia ambiental, geotecnia. A área de estudo está localizada, no centro-oeste brasileiro, em Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso, mais precisamente na zona urbana da cidade de Cuiabá, onde devido ao crescimento populacional dos últimos anos, obras de construção civil são cada vez mais comuns taludes com alta exposição do substrato rochoso da região. Em termos geológicos, a região está inserida na Zona Interna da Faixa de Dobramento Paraguai, ela exibe-se na forma de arco com concavidade para SE, orientando na direção NE-SW no seu ramo norte e N-S no seu segmento sul, com extensão aproximada de 1.500 KM e largura média de 300KM. Estende-se desde Nova Xavantina (MT), até Corumbá (MS). A Faixa Paraguai é constituída de metassedimentos dobrados em um metamorfismo progressivo em direção ao Cráton Amazônico, (Alvarenga) 1993 dividiram a faixa em três zonas. Zona 1 Cobertura sedimentar de plataforma, Zona 2 externa dobrada com pouco ou sem metamorfismo e Zona 3 interna metamórfica com intrusões graníticas. A zona Interna é caracterizada por rochas metassedimentares de baixo grau, com deformações polifásicas, as deformações ocorreram em pelo menos três fases, gerando dobramento, zonas de empurrão e intrusões graníticas pós-tectônicas. A zona externa por sua vez é caracterizada por rochas sedimentares estruturadas em dobras abertas, com presença comum de falhas reversas, o topo da sequência neoproterozoica é marcado por cobertura de plataforma, com pouca ou sem deformação, apenas com dobramento suave de escala regional e não metamorfizadas.

Palavras-chave


Faixa Paraguai, Geologia Urbana, Modelo Geofísico, Métodos Elétricos