Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A Legião Brasileira de Assistência e o processo de interiorização das políticas assistenciais na educação em Mato Grosso (1942 – 1950)
Thalita Pavani Vargas de Castro, Elizabeth Figueiredo de Sá

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Este estudo é resultado da pesquisa de doutorado que se encontra em fase inicial no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, no Grupo de Pesquisa História da Educação e Memória – GEM. Tem como objeto a Legião Brasileira de Assistência (LBA) e os projetos assistenciais desenvolvidos na educação mato-grossense, considerando que a LBA foi fundada por Darcy Saramanho Vargas, esposa de Getúlio Vargas, em 28 de agosto de 1942, em parceira com o Estado e com o empresariado brasileiro. Essa instituição foi marcada, sobretudo, pelo trabalho desenvolvido por mulheres de forma voluntária. Embora o intuito inicial da LBA fosse dar assistência aos soldados brasileiros e seus familiares nos anos em que o Brasil participou da Segunda Guerra Mundial, suas iniciativas se expandiram e se organizaram, desde os primeiros meses, em uma rede de assistência social a grupos sociais direcionados a infância, a maternidade, aos idosos e às pessoas que precisassem em todo o território nacional. Assim, a pesquisa tem como objetivo geral compreender como a Legião Brasileira de Assistência efetivou o processo de interiorização das políticas assistenciais na educação em Mato Grosso (1942 – 1950). Além dos objetivos específicos direcionados em: Realizar levantamento bibliográfico, documental e catalogar as fontes; Identificar e contextualizar as políticas e programas sociais desenvolvidos pela Legião Brasileira de Assistência em Mato Grosso no período de 1942–1950; Identificar como determinadas práticas sociais, estabelecidas por meio dos projetos e programas desenvolvidas pela Legião Brasileira de Assistência tornaram-se modos e maneiras de educar; Analisar, através da documentação, como as iniciativas da Legião Brasileira de Assistência contribuíram para o processo de interiorização das políticas assistenciais na educação em Mato Grosso. Portanto, a relevância desta pesquisa está ancorada nas contribuições para a história da educação brasileira e mato-grossense, à medida que essa instituição foi responsável por desenvolver programas e projetos de alcance nacional e estadual para os diversos segmentos da população brasileira. Se fundamenta segundo Roger Chartier na perspectiva da História Cultural, por considerar as expressões culturais e sociais envolvendo toda experiência vivida. Os procedimentos metodológicos se baseiam na análise qualitativa de abordagem histórica, em que o método utilizado foi o da operação historiográfica com base em Michel de Certeau, através das fontes documentais impressas e manuscritas, localizadas no Arquivo Público de Mato Grosso, Biblioteca Nacional Digital e na Fundação Getúlio Vargas - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC). Essa documentação é composta por atas, estatutos, decretos, legislações, Jornal A Cruz e O Estado de Mato Grosso e pela Revista A Violeta, que tratam sobre a Legião Brasileira de Assistência entre os anos de 1942 a 1950. Os resultados parciais apontam que a LBA desempenhou um papel político e educacional durante o período em análise, pois inicialmente fortaleceu a ideologia nacionalista no amparo às famílias dos homens voluntários a guerra e, posteriormente, estendeu a assistência social para outros setores da sociedade brasileira, inclusive para a educação com o objetivo de atender a todo o país.


Palavras-chave


Legião Brasileira de Assistência, História Cultural, Mato Grosso.