Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A INTERCULTURALIDADE NA PERCEPÇÃO DOS EGRESSOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO BÁSICA INTERCULTURAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA
Josimeire Ferreira de Aguiar

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Os Cursos de Licenciatura em Educação Básica Intercultural surgem no Brasil em resposta aos movimentos que incorporam as reivindicações associadas aos indígenas e indigenistas que “lutam” por igualdade de direitos, sobretudo a uma educação que propicie os conhecimentos próprios de cada cultura. Valorizando a língua e os saberes indígenas, como também originadoras de conhecimentos válidos na mesma proporção que concentra a epistemologia ocidental. Como em outras regiões do Brasil, Rondônia, concentra um número expressivo de comunidades indígenas distribuídas por todo o estado, como consta no último censo do IBGE[1]. Com relação à educação, Rondônia teve como marco o Projeto Açaí I que promovia a capacitação de professores/as indígenas iniciado no ano de 1998 e finalizado em 2004 (VENERE, 2017). Contudo, o Projeto Açaí correspondia ao nível médio o que demandava a formação de nível superior; após quatro anos foi implantado o curso de Licenciatura em Educação Básica Intercultural na Universidade Federal de Rondônia, campus de Ji-Paraná. Desde então, o curso tem atendido a acadêmicos de várias etnias, oriundos de todo o estado e da também da região noroeste de Mato Grosso. Com duração de cinco anos, o curso prepara os futuros docentes para atuar nos anos iniciais, no ensino fundamental e médio, sendo que os dois últimos anos são de formação específica na área escolhida pelo discente (BRASIL, 2008). Desde sua institucionalização, o curso tem impulsionado o protagonismo indígena, viabilizando o acesso aos programas de pós-graduação Stricto Sensu. O conceito de interculturalidade perpassa por distintas vertentes, neste trabalho nos deteremos no embasamento teórico que abrange/estabelece o diálogo entre interculturalidade e educação segundo a perspectiva crítica. Sabendo disso, pretendemos por meio da pesquisa compreender a interculturalidade na percepção dos egressos do curso de Licenciatura em Educação Básica Intercultural da Universidade federal de Rondônia, e tendo como objetivos específicos identificar a história da formação indígena na região e na Universidade Federal de Rondônia; observar a partir do Curso de Licenciatura em Educação Básica Intercultural os pressupostos conceituais a respeito da interculturalidade utilizados na formação docente; verificar a partir de narrativas de egressos elementos indicativos ou não de uma formação intercultural e dialógica. A abordagem da pesquisa será qualitativa, pois conforme inscreve Minayo (2009) o verbo que traduz o uso da pesquisa qualitativa é “compreender”. As técnicas de pesquisa para a construção dos dados será a observação participante, juntamente com o uso de entrevistas semi-estruturadas. Os pressupostos teóricos se fundamentam nas teorias Pós-Coloniais, em autores do Grupo Modernidade/Colonialidade como: Lander (2005), Mignolo (2005), Quijano (1992), Walsh (2002), e outros que dialogam com esta perspectiva teórica.

 

Palavras-chave: Interculturalidade. Formação docente. Indígenas.

 


[1] IBGE. Mapa: a distribuição total, rural e urbana da população indígena do Brasil. Disponível em: < https://indigenas.ibge.gov.br/mapas - indigenas >. Acesso em 17 de jun de 2019.


Palavras-chave


Palavras-chave: Interculturalidade. Formação docente. Indígenas.