Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Emissões de óxido nitroso (N2O) na entrelinha e próximo as raízes da soja cultivada em sistemas exclusivo e integrado de produção.
Djovane Rempel, Anderson Ferreira, Alexandre Nascimento

Última alteração: 02-10-19

Resumo


RESUMO: As avaliações das emissões de gases de efeito estufa (GEE) do solo são realizadas utilizando câmaras estáticas instaladas de modo a melhor representar o sistema, buscando sempre incluir na área da câmara a entrelinha e a linha de semeadura. Em alguns casos, quando a área da câmara não é suficiente para incluir a entrelinha e a linha de semeadura, recomenda-se a instalação de câmaras em cada um destes locais, de modo a representar o ambiente agrícola. Isso decorre do fato da linha e entrelinha de semeadura possuírem condições físicas, químicas e biológicas distintas, que desencadeiam os processos responsáveis pelas emissões de GEE. O objetivo desse trabalho foi avaliar as emissões de N2O da entrelinha e da linha de semeadura da soja cultivada em sistemas exclusivo e integrado de produção. Para isso foram avaliadas dois tratamentos, soja cultivada em sistema exclusivo e em ILPF, na área experimental da Embrapa Agrossilvipastoril em Sinop - MT, na safra de soja 2018/2019. As avaliações das emissões de N2O foram avaliadas no período de 11/12/2018 a 02/02/2019. Em cada tratamento foram distribuídas 8 câmaras, constando de 4 a entrelinha e 4 na linha de semeadura, perfazendo assim 4 repetições em um delineamento de 2 x 2 x 4 (tratamentos x linha-entrelinha x repetição). As câmaras circulares de dimensões 15 cm de diâmetro e 15 cm de altura, foram instaladas por 60 min, com 4 coletas neste período: 0, 20, 40 e 60 min. No período foram realizadas 11 coletas, sendo coletadas semanalmente, 32 amostras. As amostras foram coletas em seringas, transferidas para frascos de vidros apropriados para leitura em cromatógrafo gasoso. Os resultados das análises foram utilizados para os cálculos dos fluxos de N2O (µg N m-2 h-1), que, por sua vez, foram utilizados para o cálculo de emissões acumuladas por meio da integração trapezoidal. O erro padrão da média foi aplicado nos dados de fluxos e nas emissões acumuladas foi aplicada a anova e teste de médias Tukey ao nível de 1% de probabilidade. As médias de fluxo de N2O foram maiores na linha de semeadura do sistema exclusivo e em ILPF, com valores de 6,11±0,84 6,96±0,59 µg N m-2 h-1, respectivamente, iguais entre si, nas diferentes das médias de fluxo obtidas na entrelinha, com valores de 9,82±1,20 e 8,50±0,93 µg N m-2 .