Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Mãos negras em solo hostil: a rede de sociabilidade estabelecida pelos intelectuais negros e mestiços na Primeira República em Cuiabá
CRISTIANE DOS SANTOS SILVA

Última alteração: 07-10-19

Resumo


O advento da República foi marcado pelas relações de forças presente no universo político em Mato Grosso. As relações sociais e políticas foram estabelecidas por gerações, enriquecidas por alianças e uniões familiares que se fortaleceram, conforme o interesse comum. Em meio a transição política, o anseio das autoridades locais de constituir um ambiente urbano e rural adequado para a consolidação do progresso em Mato Grosso, o anseio regional perfilou os discursos e artigos dos jornais locais, no entanto, a oligarquia rural defendia a permanência dos velhos hábitos do passado, em que o poder de mando e desmando continuasse sob sua submissão. Tais pretensões transformou a região em palco de disputas entre as elites urbanas e rurais permeando as páginas dos jornais nas primeiras décadas da República. Os intelectuais negros e mestiços mato-grossenses exerceram na Primeira República uma representação política mais articulada em prol da construção da democracia e da cidadania regional. Estes, utilizaram a imprensa para veicular e defender seus ideais e agregar forças com os diversos segmentos sociais existentes que buscavam romper com a velha ordem instituída pela oligarquia local, que por sua vez, intensificava suas ações para manter o controle da mão-de-obra urbana e rural. Com base na trajetória do professor Feliciano Galdino de Barros e do advogado Francisco Antunes Muniz foi possível analisar a importância da intelectualidade regional negra e mestiça e, o papel político que exerceram na sociedade mato-grossense. Em seus escritos, ambos registraram a percepção do seu tempo em suas obras e artigos de jornais veiculados principalmente em Cuiabá e foram protagonistas nos embates políticos e religiosos travados na Primeira República.

Palavras-chave


intelectuais negros e mestiços; Primeira República; Cuiabá