Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O CENTRO OESTE COMO UM FATO: Produção de uma identidade mato-grossense na expressão plástica e a legitimidade artística na Exposição brasil Cuiabá Pintura Cabocla (1981)
Natalia Noemia Carvalho Ramires

Última alteração: 07-10-19

Resumo


Está pesquisa tem como objetivo compreender o processo de formação de uma tentativa de construção identitária mato-grossense a partir da expressão plástica contida na Exposição Brasil/Cuiabá: Pintura Cabocla, em relação à divisão política do Estado de Mato Grosso ocorrida em 1977, e os efeitos para os dois campos artísticos. Os artistas convidados a participar pela crítica de arte e organizadora desta exposição, foram: Humberto Espindola, João Sebastião Costa, Dalva Maria de Barros, Adir Sodré, Benedito Nunes, Gervane de Paula, Alcides Pereira dos Santos e Nilson Pimenta. A exposição foi realizada no período de 22 de janeiro a 22 de março de 1981, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM, posteriormente foi exibida no Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM e também no Teatro Nacional em Brasília pela Secretária de Educação e Cultura de Brasília. Os artistas com diferentes temáticas voltadas aos elementos da cuiabania para compor suas obras iconográficas ressignificando-as e assim construindo uma série de representações que visam compor a identidade mato-grossense. Desse modo, buscamos nas fontes historiográficas e iconográficas para analisar tais representações e para compreender quais motivos a pintura cabocla é eleita para melhor compor a tentativa de construção identitária ao Estado de Mato Grosso.

 


Palavras-chave


Pintura Cabocla, identidade e representação