Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Produção de massa seca e rendimento de grãos do amaranto em função da restrição hídrica em diferentes estádios de desenvolvimento
Ana Lucia Silva, Aloísio Bianchini

Última alteração: 08-10-19

Resumo


A restrição hídrica limita a produção agrícola. O amaranto de grãos é um pseudocereal adaptado em condição de baixa disponibilidade de água. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da restrição hídrica na produção de matéria seca e no rendimento de grãos de duas espécies de amaranto. O delineamento experimental adotado foi em blocos casualizados em esquema de parcelas sub-subdivididas. Constituíram as parcelas quatro períodos de restrição hídrica (20 a 30; 30 a 40; 40 a 50 e; 50 a 60 dias após a emergência, + 1 testemunha, sem restrição hídrica), sub parcelas duas espécies de amaranto (Amaranthus cruentus e Amaranthus caudatus) e, sub-subparcelas a idade da planta. Foram avaliados a massa de matéria seca da parte aérea (g planta-1), a produtividade (kg ha-1) e o peso de mil grãos (g). A massa de matéria seca foi submetida à análise de variância e regressão (p<0,05), enquanto as médias da produtividade e do peso de mil grãos foram comparados pelo Teste de Tukey (p<0,05). A restrição hídrica, independente da espécie, nos estádios vegetativo e formação de panícula reduz a massa seca do amaranto. A produtividade não foi afetada em função da restrição hídrica. A restrição hídrica quando aplicado durante o estádio de formação de panícula em Amaranthus caudatus reduz o peso se mil grãos.

Palavras-chave


Amaranthus ssp., déficit hídrico, crescimento vegetal, produtividade