Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Imagens do Brasil: Civilização e identidade nacional na escrita de Antonio Candido
Thales Biguinatti Carias

Última alteração: 07-10-19

Resumo


A produção acadêmica que se dedica a compreender a obra de Antonio Candido é vasta, mas tende a reproduzir uma noção histórica mais ampla que entende seus esforços como representação de uma passagem do ensaísmo para a moderna produção técnica do conhecimento, tendo a UPS como protagonista deste projeto. Neste sentido, observa-se que a produção de Antonio Candido, bem como sua atuação de professor, estaria num enquadramento histórico bem definido. Ao contrário dessa perspectiva, o presente trabalho possui como objetivo explorar mais as possíveis relações da obra de Candido com a geração ensaísta que o precedia. Propõe-se fazer isso a partir do levantamento da hipótese de que a obra de Candido funciona com base numa premissa que concatena seus mais variados estudos. Tal premissa, presente sobremaneira na Formação da Literatura Brasileira, diz respeito a um modo particular segundo o qual o autor representa o Brasil e o concebe segundo um modelo de civilização. Deste modo, identificar essa concepção de civilização, que funciona como um ponto de convergência dos estudos altamente técnicos empreendidos por Candido, permite levantar um diálogo profícuo para com a geração ensaísta que via, nas suas interpretações, uma expectativa para com o Brasil que se firmava. Nessa discussão, portanto, a intenção é propor uma leitura que integre a obra de Antonio Candido (Formação da Literatura Brasileira e Parceiros do Rio Bonito) num mesmo quadro de preocupações teóricas da sua geração acadêmica (Florestan Fernandes – A Integração do Negro na Sociedade de Classes) com os grandes ensaios sobre o Brasil (Raízes do Brasil, Formação do Brasil Contemporâneo e Casa Grande e Senzala) para mostrar, por meio da discussão das obras, uma determinada imagem do Brasil que permanece do discurso ensaístico ao estudo técnico. Essa imagem expressa determinada expectativa para com os rumos e o sentido histórico que toma o Brasil, bem como busca refletir sobre o lugar da nação naquele estado de coisas. A partir disso, teceremos algumas considerações sobre o significado dos dois fatores históricos de maior relevância para Formação da Literatura Brasileira, a saber, a inconfidência mineira e a independência do Brasil, pois são dois eventos que, de acordo com Candido, constroem determinada consciência nacional.


Palavras-chave


Literatura Brasileira; Crítica literária; Historiografia literária