Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A Guerra Civil nos Estados Unidos e a aprovação da Lei do Ventre Livre no Império brasileiro (1865 – 1871)
Giovanni Mamedes

Última alteração: 07-10-19

Resumo


A expansão e o colapso da escravidão negra nas Américas no século XIX é um grande desafio interpretativo para a historiografia mundial, resultando em discussões profícuas e numerosas vertentes interpretativas. Do ponto de vista da História Atlântica e da História Mundial, os historiadores têm se esforçado em compreender esses fenômenos não apenas pela análise das respectivas histórias nacionais, de forma isolada, mas através das relações econômicas e políticas estabelecidas entre os Estados Nacionais nesse período. Sob tal perspectiva, os processos históricos que levaram ao declínio dos regimes escravistas americanos e sua eventual substituição pelo trabalho livre, só podem ser entendidos se estiverem inseridos em um quadro maior, em que se investiga as relações entre os diversos elementos que o compõe.  Deste modo, essa pesquisa tem como objetivo identificar qual foi o impacto que a abolição da escravidão nos Estados Unidos em 1865 como consequência de uma guerra civil teve nos rumos da política imperial brasileira. Mais especificamente, queremos observar se houve alguma relação entre o fim da escravidão na República da América do Norte e a aprovação da Lei do Ventre Livre no Império do Brasil em 1871, apenas seis anos depois. Para tal, iremos analisar os discursos legislativos entre os anos de 1865 e 1871, dando particular ênfase ao Senado, buscando mapear a percepção que essa elite política imperial brasileira teve sobre o fim da Guerra da Secessão e suas consequências. Nos termos aqui compreendidos, a abolição como resultado de uma violenta guerra civil nos Estados Unidos representou um momento de crise internacional no status da escravidão, dificultando a continuidade da instituição em lugares remanescentes, como no Império do Brasil e em Cuba, colônia do Império Espanhol.


Palavras-chave


escravidão; Império do Brasil; Senado