Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Malformação congênita relacionada à exposição materna aos agrotóxicos (2008 a 2018)
Bruna Rayeli Groth

Última alteração: 24-10-19

Resumo


A exposição humana aos agrotóxicos ocorre pela contaminação do ar, solo, alimentos, manipulação de ingredientes ativos pelo uso inadequado dos equipamentos de proteção individual (EPI). A exposição materna prejudica o desenvolvimento fetal podendo gerar algum déficit estrutural, funcional e/ou metabólico. Dentre as alterações encontradas nestas crianças, estão as malformações congênitas (MFC), baixo peso ao nascer, índice de Apgar insatisfatório, retardo no desenvolvimento intrauterino entre outras. A exposição aos agrotóxicos obteve quase três vezes mais chance de desenvolver MFC do aparelho circulatório. A exposição paterna aos agrotóxicos demonstrou duas vezes mais chance em desenvolver MFC cardíaca em relação aos não expostos. O objetivo será analisar a malformação congênita relacionada à exposição materna aos agrotóxicos no Brasil e no estado de Mato Grosso no período de 2008 a 2018. Trata-se de um estudo de série temporal. O procedimento de Prais-Winsten será utilizado para análise de regressão linear generalizada, adotando-se nível de significância de 5%. Será considerado como série temporal crescente quando a annual percent change se apresentar positiva, decrescente quando negativa e estacionária quando não houver diferença significante entre seu valor e o zero. Para a elaboração da distribuição espacial por meio de mapas, será utilizado o software ArcGis 10.2.

Palavras-chave


Agroquímico; Malfomação congênita; Exposição materna.