Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeitos da redução de ninhada sobre o comportamento alimentar de ratos durante a lactação
Camila Luiza Rodrigues dos Santos Ricken

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Introdução: A obesidade infantil é considerada mundialmente um grande problema de saúde pública, oportunizando o surgimento de comorbidades em períodos subsequentes. Objetivou-se avaliar o comportamento alimentar de ratos neonatos, oriundos de redução de ninhada, durante a lactação. Métodos: Após nascimento, ao terceiro dia de vida dos filhotes, as ninhadas foram padronizadas randomicamente em grupo controle (grupo CONT) cuja ninhada foi ajustada para 8 filhotes, e grupo ninhada reduzida (grupo NR), cuja ninhada foi padronizada para 3 filhotes por mãe. Aferiu-se o peso ao nascer e a cada dois dias durante a lactação. A avaliação do comportamento alimentar sucedeu-se ao 6º e 11º dia de vida dos filhotes. O procedimento baseou-se na separação da ninhada colocando-as em jejum de 4 horas seguido da pesagem em balança analítica e levados junto à matriz pelo período de 1 hora para amamentação. Ao término, os filhotes foram novamente pesados de modo que a diferença entre os pesos da pré e pós-mamada determinaram a quantidade de leite ingerida. Resultados: O peso ao nascer dos ratos CONT e NR foi semelhante (P>0,05). Em relação aos ratos CONT, ao sexto dia de vida, os ratos NR mostraram-se hipofágicos (41,33%, P<0,01), enquanto ao 11º dia de vida apresentaram hiperfágicos (360%, P<0,05). Comparando os ratos CONT, os mesmos demonstraram-se hipofágicos ao 11º dia de vida (575%, P<0,001). Correlacionando a ingestão de leite ao 6º e 11º dos ratos NR, esta mostrou-se semelhante (P>0,05). Conclusão: A redução de ninhada promoveu a hiperfagia precoce na prole por maior oferta de leite, sugerindo um modelo hiperfágico de indução precoce à obesidade.

Palavras-chave


Hiperfagia; ingestão alimentar; obesidade infantil