Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DE REDE SOCIAL PARA AVALIAR COMUNICAÇÕES E DESENVOLVER FERRAMENTAS DE REDE ENTRE PROFISSIONAIS E ENTIDADES DE GESTÃO AMBIENTAL
bruno rodrigues dos santos, Pierre Girard Girard

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Muitos estudos têm sido realizados sobre a influência das estruturas sociais nos resultados das ações e decisões dos indivíduos, e ações e resultados econômicos das organizações. A análise de redes sociais leva em consideração o fato de que a vida social são as relações entre os indivíduos. A implicação mais relevante é a forma como as pessoas podem influenciar outras a realizarem eventos semelhantes. O comportamento dentro de uma rede social é fundamental para compreender as conexões sociais entre os membros dessa rede.  Para conhecer uma rede social, precisa levantar os nós e tipos de relações que a compõe.  Em virtude dos benéficos de conhecer as interações dos indivíduos da rede social, acredita-se que a mesma pode ser utilizada como uma vantajosa ferramenta aplicado ao meio colaborativo, contribuindo com quaisquer áreas de gestão. Entre elas a gestão ambiental, onde diversos estudos apontam um papel importante das redes sociais nos processos de governança ambiental. Estruturas estas, que envolvem atores de categorias diversas, tais como pesquisadores, gestores governamentais, organizações não governamentais e movimentos sociais, também contribuem para facilitar a formulação de soluções adaptadas à complexidade dos problemas socioambientais por meio de processos transdisciplinares.  Este trabalho terá por objetivo mapear as redes sociais, visando conhecer as interações das estruturas sociais aplicados aos profissionais e entidades de gestão ambiental, tais como os conselhos de meio ambiente, os conselhos de recursos hídricos e fóruns de mudanças climáticas, afim de entender as estruturas de poder que influenciam as decisões tomadas por estas entidades e eventualmente propor novos modelos de colaboração entre os atores destas redes. Sendo uma pesquisa é do tipo descritiva, pois examina o objeto de estudo com a finalidade de descrevê-lo, relatando os fenômenos e fatos de uma dada realidade, entre as estratégias de pesquisa experimental, levantamento, estudo de caso, bibliográfica, etnografia e pesquisa-ação será utilizada a estratégia de estudo de caso. Serão realizadas entrevistas presenciais e entrevistas realizados por resposta dos formulários via e-mail, entre janeiro e março de 2020, entrevistas estas com questionários semiestruturados de modo a coletar as informações de relacionamento e interação em cada egonet. Os dados da rede de colaboradores serão analisados com o software UCINET, versão 6.0. Os resultados obtidos serão importantes para subsidiar futuros programas de conservação ambiental, além de informar aos profissionais e entidades quais os indivíduos que tem a maior interação dentro rede social, permitindo a melhorar a aplicabilidade da gestão e as relações interpessoais. Desta forma, espera-se contribuir para conservação e preservação do meio ambiente, uma vez que, o estudo mapeou todos membros da rede social. Neste contexto alcançando a possibilidade de uma governança colaborativa, onde novos relacionamentos colaborativos são desenvolvidos. Demostrando como a análise de redes sociais pode contribuir na definição (ou redefinição) das fronteiras dos territórios de modo a incluir um conjunto de municípios cujos atores mantêm relações sociais efetivas. Ações de governança em todo território nacional são propostas com potencial para fortalecer os processos de diálogo, diminuir os conflitos e promover o uso sustentável dos recursos naturais no Brasil.

Palavras-chave


BIOTECNOLOGIA, REDES SOCIAIS, GESTÃO AMBIENTAL