Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Ensino de Geografia na perspectiva da educação inclusiva
Lindeval José dos Santos

Última alteração: 10-10-19

Resumo


Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgadas em 2010, 23,9% da população brasileira possuía pelo menos uma das deficiências investigadas: visual, auditiva, motora, mental ou intelectual, e a deficiência visual apresenta o maior número de pessoas, afetando 18,6% da população. Com isso, podemos destacar como um dos principais paradigmas atuais da educação, o processo de inclusão, no intuito que pessoas com deficiências frequentem o ensino regular. Neste sentido buscamos por meio desta pesquisa, analisar os avanços e possibilidades que a Geografia tem construído, frente aos desafios da inclusão escolar. A cartografia tátil, tem se consolidado dentro das pesquisas acerca de inclusão e Geografia, principalmente por meio do desenvolvido de produtos cartográficos, que substituem as variáveis visuais por táteis, ou seja, tem se preocupado com a construção e utilização de representações gráficas táteis, que subsidiam a apropriação do espaço, e aquisição das noções geográficas e espaciais, por meio principalmente do tato, mas também, outros mecanismos sensoriais acessíveis às pessoas cegas ou baixa visão. Entre os objetivos estão, analisar o desenvolvimento de praticas de ensino inclusivo, na relação com o ensino de Geografia, na educação regular em uma escola pública estadual em Cuiabá-MT. Analisar a oferta e uso de mapas táteis e/ou outros produtos cartográficos, no processo de inclusão, acessibilidade e mobilidade urbana em espaços públicos e privados de grande circulação. Foram analisados principalmente os mapas, e outros mecanismos de comunicação de informações espaciais, na região central de Cuiabá. Os limites da pesquisa não permitem neste momento, discutir todas as problemáticas envolvidas, na questão da inclusão na escola e na sociedade, mas deve permitir refletir sobre as práticas pedagógicas, metodologias de ensino, e políticas públicas na área da educação inclusiva, na relação com ensino e aprendizagem da Geografia, principalmente aquela ofertada nas escolas públicas. A cartografia tátil tem oferecido suporte para a promoção de uma Geografia inclusiva, contribuindo com o desenvolvimento, ensino e aprendizagem de pessoas cegas ou visuais, oferece suporte no processo de mobilidade e acessibilidade urbana, por meio da pesquisa e desenvolvimento de produtos cartográficos acessíveis, como mapas táteis, maquetes e outros produtos que vinculam informações de orientação, localização, em espaços públicos e privados.

 


Palavras-chave


Ensino, Aprendizagem, Geografia, inclusão.