Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
IDENTIFICAÇÕES DOS PROFESSORES DO INSTITUTO FEDERAL NOS CONTEXTOS DO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL NO INTERIOR DO AMAZONAS
CLAUDIO AFONSO PERES

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Considerando a complexidade do trabalho docente, particularmente nos Institutos Federais, caracterizados por tensões e conflitos diversos que refletem no desenvolvimento institucional, percebemos que é necessário buscar a compreensão de como os docentes se constituem professores durante os processos de identificação construídos naquela instituição, no contexto do desenvolvimento profissional. Percebemos a necessidade de ampliar os estudos sobre o Instituto Federal no campo do Desenvolvimento Profissional Docente (DPD) e dos Processos de Identificação que acontecem na vida pessoal e profissional dos docentes. Para tal, consideramos a narrativa dos professores do Campus Coari a melhor e mais original fonte para contribuir com a compreensão, considerando os objetivos da pesquisa. Nosso objetivo é compreender os processos de identificação de um grupo de professores do Instituto Federal do Amazonas Campus Coari e a relação com suas suas práticas, identificando as dimensões mais significativas do DPD, verificar como os docentes construem e re/constroem sua profissionalidade e identificar os processos de identificação que ocorrem durante as experiências vivenciadas na Instituição. Para dialogar com essa realidade, buscamos a Pesquisa Narrativa, conforme os estudos de Clandinin e Connelly (2010, 2015), que a consideram método e fenômeno da pesquisa. Sobre o Desenvolvimento Profissional Docente, consideramos os estudos de Marcelo Garcia (1999) e Day (2005), dentre outros. Sobre Experiência, a partir dos escritos de Dewey (2010) e das ressignificações dadas por Clandinin e Connelly (2015), buscamos dialogar com as narrativas dos docentes de maneira dialética, considerando as dimensões e subjetividades das relações temporais, espaciais e pessoais envolvidas. Sobre estudos culturais, identidades, processos de identificação e educação intercultural, consideramos apropriado estudar Stuart Hall (2006), Bauman (2017), Menezes (2016), Candau (2006), Walsh (2012), Silva (2000), dentre outros. Buscamos como caminho de estudo a Pesquisa Narrativa, na concepção de Clandinin e Connelly (2015), para os quais ela é “[...] uma forma de compreender a experiência. É um tipo de colaboração entre pesquisador e participantes, ao longo de um tempo, em um lugar ou série de lugares, e em interação milieus (p. 51), considerando as histórias de experiências dos participantes nas perspectivas individual e social. Nesse sentido, compomos textos de campo a partir da experiência no Campus Coari, organizando e gravando rodas de conversa, entrevistas individuais, participando de encontros pedagógicos, conselhos de classe outras atividades de ensino, narrativas digitais escritas enviadas por e-mail ou narradas e enviadas por mensagens de watsapp. Das atividades previstas no campo da pesquisa, até o presente momento permanecemos no campo da pesquisa por aproximadamente 3 meses, experienciando as atividades e observando a rotina diária do Campus Coari; participamos e gravamos encontros pedagógicos; participamos e gravamos conselhos de classe; organizamos 9 rodas de conversa com 10 professores participantes da pesquisa; e, realizamos 8 entrevistas em profundidade com 4 participantes da pesquisa; realizamos levantamento bibliográfico, coleta de documentos, normas e legislações específicas que facilitarão o diálogo com o referencial teórico e com contextos mais amplos da Instituição; elaboramos notas de campo a partir das atividades experienciadas durante a vivência no campo da pesquisa.