Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Fatores associados ao risco de suicídio em pós-graduandos
Evelyn Kelly das Neves Abreu, Samira Reschetti Marcon

Última alteração: 24-10-19

Resumo


Introdução: O suicídio é um grave problema de saúde pública e se constitui em um fenômeno multideterminado, que pode ser definido como o ato de dar fim a própria vida. Anualmente mais de 800 mil pessoas cometem o suicídio, representando uma morte a cada 40 segundos no mundo. Nas universidades o suicídio vem atingindo estudantes de várias partes do mundo, e embora os documentos oficiais não tenham informações específicas relacionadas à população universitária, estudos demonstram que se constitui como a terceira principal causa de morte em universitários dos Estados Unidos da América. Portanto o comportamento suicida e os fatores que podem estar associados a ele merecem ser melhor compreendidos, principalmente em faixas etárias mais jovens, particularmente os que se encontram dentro do ambiente universitário, em especial na pós-graduação. A pós-graduação se caracteriza como ambiente altamente desafiador frente às demandas e cobranças intensas, e ao ingressar em um curso de doutorado ou mestrado inúmeros desafios apresentam-se ao jovem pesquisador, como a alta competitividade, problemas com a estrutura física do curso, aquisição de bolsa, financiamento para desenvolvimento de projetos, cobranças em relação à produtividade e ao cumprimento de prazos como a qualificação e defesa de dissertação/tese, publicações de artigos científicos em periódicos de qualidade, problemas de relacionamento com o orientador e professores. Outros fatores que podem ser somados a vida dos estudantes são os psicossociais e de saúde como alteração do sono, uso de substâncias psicoativas, depressão, ansiedade, estresse, sedentarismo e falta de apoio social. De modo geral, as dificuldades vivenciadas ao cursar a pós-graduação e sua relação com o sofrimento mental, compõem o universo acadêmico e podem culminar em risco de suicídio. Mesmo diante da gravidade da situação, embora pareça ocorrer mais recentemente uma preocupação da área científica com as condições de saúde mental dos pós-graduandos, tal condição tende a ser naturalizada, como se sua ocorrência fosse inerente a pós-graduação. Deste modo, dentre diferentes possibilidades de intervenções, conhecer os fatores que se associam ao risco de suicídio é uma das estratégias possíveis de prevenção ao agravo. Objetivo: Analisar os fatores associados ao risco de suicídio em estudantes de pós-graduação. Metodologia: Estudo de delineamento transversal. Realizado na Universidade Federal de Mato Grosso com a totalidade dos pós-graduandos stricto sensu de todos os campi no período de setembro/outubro de 2019. Utilizou-se instrumentos validados para a coleta de dados (MINI-International Neuropsychiatric Interview Brazilian, Instrumento elaborado pela pesquisadora validado em face e conteúdo, EAS-Escala de Apoio Social, CAGE-Cut down,Annoyed by criticism, Guilty e Eye-opener, DASS-21-Escala de Depressão, Ansiedade e Estresse 21, ESE-Escala de Sonolência de Epworth, IPAQ-Questionário Internacional de Atividade Física). Serão realizadas analises descritivas e inferências e os testes estatísticos serão trabalhados de acordo com o comportamento dos dados. Resultados: Acredita-se que haja risco de suicídio associação a variáveis demográficas, econômicas, acadêmicas, psicossociais e de saúde, de modo que a sua identificação precoce nos estudantes de pós-graduação stricto sensu possibilite a intervenção adequada e a implantação de politicas específicas contribuindo para a diminuição do fenômeno nesse grupo populacional.


Palavras-chave


Risco de suicídio; Pós-graduandos; Pós-graduação