Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ITINERÁRIO TERAPÊUTICO DO POVO INDÍGENA GUATÓ DE MATO GROSSO
Alessandra Alves de Arruda

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Este resumo é parte da minha pesquisa de mestrado é uma etnografia das narrativas do povo indígena Guató do Município de Barão de Melgaço, Mato Grosso, Terra Indígena Baía dos Guató, Aldeia Aterradinho do Bananal, sobre o Itinerário Terapêutico dessa sociedade indígena e as políticas públicas de saúde. Nele procuro fazer o registro das ressignificações vivenciadas por eles nesse contexto de fricção interétnica, no contexto aldeia e cidade, e os caminhos percorridos por eles para se ter resolutividade de tais problemas saúde. Além disso, investigamos como se dão as práticas terapêuticas indígenas e a prática biomédica como vem sendo praticada sob a ótica desses indígenas. Pretendo apresentar a concepção de saúde e doenças do ponto de vista do povo Guató, ao qual eu pertenço, e como é tecida essa teia de significado, como fala o antropólogo Clifford Geertz, e de tais concepções e práticas sob a luz do referencial teórico-metodológico da antropologia, considerando inclusive a falta de estudos nessa área de conhecimento no campo da saúde indígena. A intenção é contribuir assim para a área da etnologia ameríndia, fazendo um mapeamento dos agentes de cura e saber local, o que está muito forte no cotidiano desse povo.


Palavras-chave


Práticas de cura, Indígenas Guató/MT, antropologia da saúde indígena