Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
EFEITODO TREINAMENTO FÍSICO RESISTIDO EM ESCADA SOBRE A REMODELAÇÃO ÓSSEA EM RATOS INDUZIDOS À OBESIDADE LOGO APÓS O DESMAME
Paula Caroline de Almeida, Roberto Lopes de Souza, Fabrício Azevedo Voltarelli

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Introdução: A prevalência de obesidade infantil duplicou em países industrializados, sendo uma das razões o fácil acesso aos alimentos hipercalóricos associado ao sedentarismo, os quais desempenham papel crucial no desenvolvimento desta fisiopatologia. O excesso de peso corporal pode promover efeitos diretos e indiretos no desenvolvimento da massa óssea, os quais são adquiridos desde a infância até a adolescência e acompanhados até a vida adulta, elevando o risco osteoporótico e de fraturas por fragilidade. Intervenções baseadas em exercícios físicos geram benefícios à saúde, tais como melhora do equilíbrio e a redução de quedas. No entanto, o efeito protetor advindo do exercício físico resistido no que se refere aos danos na arquitetura óssea e alterações morfológicas causadas pela obesidade infantil permanecem desconhecidos. Objetivo: Investigar o efeito do treinamento resistido (TR) sobre a morfologia e a arquitetura óssea de ratos induzidos à obesidade por dieta hipercalórica e hiperlipídicas associada à bebida com frutose iniciada desde o desmame. Métodos: Serão utilizados 60 ratos da linhagem Wistar, machos, com 21 dias de idade no início do experimento. A etapa 1 terá dois grupos: controle (C; n=20): alimentados com dieta normocalórica e água; grupo 2 (OB; n=40) alimentados com dieta obesogênica contendo 45% de lipídios e bebida com frutose (10%). Na etapa 2, os animais serão divididos em 6 grupos: controle sedentário (CS, n=10); controle treinado (CT, n=10);  Obeso sedentário alimentado com dieta obesogênica adicionada de bebida com frutose (OB, n=10); Obeso treinado alimentado com dieta obesogênica adicionada de bebida com frutose (OT, n=10); Obeso sedentário alimentado com dieta normocalórica (OSD, n=10) e Obeso treinado alimentado com dieta normocalórica (OTD, n=10). O TR consistirá em 8 escaladas/3x sem, durante 6 semanas. Nas 1ª e 2ª semanas, os ratos suportarão carga de 70% da carga máxima determinada por teste de carga máxima (TCmáx), realizado no 1° e último dia de treinamento. A carga será ajustada a cada 2 semanas para 80% e 85% do TCmáx, respectivamente. Ao final do período de TR, os animais serão mantidos alimentados e em repouso por 48 horas, anestesiados e sacrificados por decapitação. O sangue arteriovenoso será coletado e utilizado para análises bioquímicas (kits comerciais). Os músculos sóleo, gastrocnêmio, tibial anterior e quadríceps, bem como os órgãos rins e fígado serão excisados, pesados e submetidos a análises histomorfológicas. Os ossos tíbia e fíbula serão excisados e armazenados para testes de resistência e exames de imagens futuras. Os dados serão expressos como média±desvio padrão (p<0,05).

 


Palavras-chave


Obesidade. Dieta obesogênica. Treinamento físico resistido. Remodelação óssea. Ratos.