Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação da atividade e do mecanismo de ação antiinfamatório do extrato aquoso do infuso das folhas de Copaifera malmei Harms.
thais Campos Dias da Cruz

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Introdução: A inflamação é uma resposta do organismo frente a agentes lesivos de diversas naturezas (físicos, químicos, biológicos), caracterizada por uma série de eventos e mecanismos vasculares e tissulares, com objetivo de reconhecer o agente causador e reparar danos ao organismo e eliminar o agente flogístico, restaurando a homeostasia local. Atualmente, exite uma gama de medicamentos com ação anti-inflamatórios, dando destaque aos anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs) e/ou anti-inflamatórios esteroidais (AIEs). No entanto, essas drogas, possuem um alto potencial de efeitos adversos. Para tanto, medicamentos à base de plantas têm sido empregados como medicamentos para o tratamento de uma série de doenças. O gênero Copaifera, família Fabaceae, ocorre na África, Américas Central e do Sul e Ásia .É um arbusto endêmico que cresce selvagem nos estados de Mato Grosso e Goiás, no Brasil, é conhecido como "copaíba-mirim", "óleo-mirim", "podoinho", "pau-d'óleo","Guaranazinho", tem seu grande uso pela população na microrregião do norte Arraguaia no Centro Oeste do Brasil, no tratamento de doenças como bronquite e asma. Devido a escassez de estudos farmacológicos, que comprovem o uso da ação antiinflamatória, este trabalho tem por objetivo analisar o potencial anti-inflamatório da planta em estudos envolvendo mecanismos de ação em modelos de inflamação aguda in vitro e in vivo. Métodos: O extrato da planta foi preparado por infusão, adicionando-se 40 gramas do pó das folhas em 1 L de água destilada a 100 ºC, congelado a-80º C e liofilizado. Para os ensaios invitro de citoxicidade foi baseada no métodode NAKAYAMA(1997), utilizando células da linhagem RAW 276.4. In vivo foi realizado a peritonite induzida por LPS, a quantificação do lavado intraperitoneal, dosagem de NO e citocinas. Análise: No ensaio de citotoxicidade o extrato apresentou, não citotóxico nas concentrações abaixo de 400µg/mL. No ensaio de peritonite verificou-se que o extrato obteve resultado significativo quando comparado ao grupo veículo e ao padrão dexametasona. Sobre a determinação de NO sobre o lavado peritoneal, foi possível determinar a diminuição de NO, nas três concentrações. Conclusão: Conclui-se que os resultados apresentam dados significativos antiinflamário, porém ainda necessita de mais estudos para comprovação do seu efeito.

Palavras-chave


Inflamação; copaifera malmei