Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
“Expectativas Subvertidas”: quando o plot twist se transforma em vilão nas narrativas de televisão seriada
Joana Castro

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Diferente do Brasil, a programação da televisão americana é marcada pela alta competitividade entre canais que exclusivamente se dedicam a seriados televisivos. Essa concorrência, não só entre as redes de canais, mas também do anseio de escritores em se destacar nesse cenário já saturado, desperta a busca incessante em surpreender o público, muitas vezes se distanciando das narrativas que foram inicialmente propostas. Destaca-se o conceito de "subverter expectativas", uma ideia geminada entre roteiristas que consiste em sempre surpreender a sua audiência, mas que hoje é usada como uma crítica debochada de várias franquias da cultura pop, como Star Wars e Game of Thrones. Embora a arte da subversão de histórias tenha sido usada há muito tempo em obras narrativas, ela se tornou um meme nos tempos atuais, já que o próprio público vem rejeitando seriados de televisão e filmes que desviam do seu arco narrativo em prol de uma reação chocante dos fãs, e como resultado, um boom na audiência. A prática narrativa de se criar reviravoltas foi de muito sucesso em filmes nos anos 90, como The Matrix e Fight Club. No entanto, com o avanço da tecnologia e especificamente da internet, criadores buscam gerar uma reação do público de forma que se espalhe pelas redes sociais, a fim de atrair mais telespectadores. Atualmente, as reviravoltas são usadas com tanta frequência nas histórias que muitas séries de televisão acabam caindo no descontentamento do público, visto que os próprios fãs não conseguem mais definir o arco narrativo, e quando mudanças muito drásticas acontecem dentro da história, também sentem que foram traídos de alguma forma. Séries como Lost, Dexter e How I Met Your Mother, embora de gêneros diferentes, sofreram o mesmo problema: afastaram-se da proposta inicial, repelindo o público, e consequentemente, sofreram uma queda na qualidade do roteiro. De fato, reviravoltas podem causar um impacto positivo quando usadas de forma correta dentro de uma estrutura narrativa construída para apoiá-la. Escritores como Syd Field e Luiz Carlos Maciel, explicam como essas ferramentas podem ser utilizadas no desenvolvimento de histórias, mesmo que o público consiga prever o seu fim, o que não é um sinal ruim, pois assim como no poema Ilíada, que em suas primeiras páginas revela o desfecho da história, saber do fim não é o mesmo que acompanhar o todo.

Palavras-chave


narrativa seriada; televisão americana; roteiro