Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Desempenho e qualidade da carne de ovinos de corte com lisina e metionina protegida
Lilian Paola Guevara, Luciano da Silva Cabral, Leticia de Assis Calmon Cerisara, Larissa Almeida e Silva, Matheus Lima Correa Abreu

Última alteração: 08-10-19

Resumo


O experimento foi conduzido na área de ovinocultura da fazenda experimental da UFMT, em Santo Antonio do Leverger, MT. Foram usados 20 animais de 120 dias de idade com peso vivo (PV) médio 26,94±2,09 Kg, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado em quatro tratamentos e alojados individualmente em baias de 0,64 m2. Os animais foram adaptados durante 21 dias. As dietas foram formuladas para um ganho médio de 300 g/d com silagem de milho (50%), concentrado (49,03%) com base em milho e farelo de soya e aminoácidos protegidos (AAs). No tratamento 1 (T1) foi fornecida 12,3% de Proteína (PC) sem AAs, nos seguintes tratamentos o teor PC foi se reduzindo 3% e adicionando os Aas: L-Lisina e DL-metionina na proporção 3:1, 0,07% com relação na metionina. Assim, tratamento 2 (T2), 12,4% PC; tratamento 3 (T3), 11,9% PC e tratamento 4 (T4), 11,5%. No dia experimental 42 após jejum de sólidos de 16h os animais foram pesados, levados no frigorifico e abatidos com PV médio 46,5±3.0 Kg para avaliar os parâmetros produtivos da carcaça. No dia do abate foi mesurado o pH, 24 horas depois novamente foi avaliado o pH e foi retirada uma amostra da carcaça na porção do Longissimus dorsi entre a 12a e 13a vertebra torácica. Nas amostras retiradas do lado direito do musculo foram avaliadas as características físicas, físico-químicas. No lado esquerdo do musculo, as amostras foram secadas e moídas para determinar as características químicas da carne. Realizou-se estatística descritiva para analise prévio dos dados. Os animais foram abatidos com peso médio de 44,3 ± 2.87 Kg, e ganho de peso diário de 304 ± 33 g, rendimento de carcaça de 48,08% e rendimento biológico de 61,03%, houve decrescimento normal do pH no tempo de maturação da carne 0h (6.53) e 24h (5.93), capacidade de retenção de agua foi 24,92% e na colorimetria (L*) 24.66, (a*) 10.9 (b*). Em quanto as caraterísticas químicas da carne o teor de umidade foi na média de 72,43%, cinzas 3,34%, lipídeos 18,99. Na análise descritiva não se pode comparar os tratamentos, embora e possível verificar que os dados obtidos concordam com a literatura, e preciso a comparação de medias por meio de um teste estatístico.


Palavras-chave


Aminoácidos, Suplementação, Cordeiros