Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
EFEITO CRÔNICO DO TREINAMENTO DE VIBRAÇÃO DE CORPO INTEIRO NO DESEMPENHO MOTOR E NA TRASMISSIBILIDADE EM IDOSOS ATIVOS
Jonatan Stre Peres, Jacielle Carolina Ferreira

Última alteração: 04-10-19

Resumo


Resumo: A população idosa apresenta-se em um acelerado processo de crescimento associado ao aumento da expectativa de vida. As alterações com o envelhecimento podem comprometer o sistema neuromotor, afetando a coordenação motora, o equilíbrio, entre outros. Como uma nova estratégia de treinamento para a manutenção de tais capacidades, tem crescido o interesse no treinamento realizado em plataformas vibratórias. Porém, pouco se sabe sobre o efeito desse tipo de treinamento na coordenação motora e o quanto o sistema neuromotor é capaz de se adaptar ao estímulo vibratório gerado por esses equipamentos. Buscando esclarecer esses aspectos, o presente estudo terá como objetivo: Verificar o efeito crônico do treinamento de vibração de corpo inteiro (TVCI) na coordenação motora de membros inferiores, equilíbrio e na transmissibilidade em idosos ativos. Para isso, participarão deste estudo 30 idosos de ambos os sexos com idade superior a 60 anos e que atendam aos critérios de inclusão. Serão realizadas 18 visitas ao laboratório de Biomecânica da Universidade Federal de Mato Grosso, sendo a primeira para caracterização da amostra, e coletas do Tapping Foot Test (TFT) e Teste do Alcance Funcional (TAF), sendo que o primeiro avalia a coordenação motora de membros inferiores, onde os voluntários devem ficar sentados em uma cadeira ajustável com os joelhos em um ângulo de 90º, mãos cruzados sobre peito e realizar o máximo número de contatos com os pés alternadamente durante 10s. Para a contagem do número de contatos no TFT será utilizado um tapete de contato. Já para o Teste do Alcance Funcional, que será utilizado para a avaliação do equilíbrio dinâmico, o voluntário ficará em pé, com o ombro direito próximo a uma parede, onde será colocada uma régua ou fita métrica, realizando uma flexão do ombroa 90° com os dedos da mão estendidos. Nessa posição, o comprimento do membro superior direito é registrado. Após o voluntário realizará três tentativa de alcançar algum objeto à frente, sem dar passos ou efetuar qualquer estratégia compensatória. O resultado do teste é representado pela média, das três tentativas com relação à medida da posição inicial. Para as 16 sessões experimentais os participantes serão divididos em dois grupos: Controle (15), que irá realizar o mesmo protocolo do grupo experimental, porém, a plataforma estará desligada, e o grupo Intervenção (15), esse por sua vez, irá realizar o TVCI duas vezes por semana, que irá consistir em quatro séries de 30s de VCI em posição de semi-agachamento isométrico, com intervalos de 30s entre séries a uma frequência de 22hz. Na primeira e ultima sessão experimental será posto um acelerômetro triaxial no tornozelo (INPUT) e na cabeça (OUTPUT), para posterior análise da transmissibilidade. Por fim, ao termino das 16 sessões os voluntários retornarão ao laboratório para serem reavaliados com os mesmos testes aplicados na primeira sessão experimental. Os dados serão salvos em arquivo txt para posterior análise, será realizado o teste Shapiro Wilk, para verificar distribuição dos dados e para possíveis diferenças entre pré e pós intervenção um teste t-pareado o valor de significância dotado será de p<0,05.

Resumo: A população idosa apresenta-se em um acelerado processo de crescimento associado ao aumento da expectativa de vida. As alterações com o envelhecimento podem comprometer o sistema neuromotor, afetando a coordenação motora, o equilíbrio, entre outros. Como uma nova estratégia de treinamento para a manutenção de tais capacidades, tem crescido o interesse no treinamento realizado em plataformas vibratórias. Porém, pouco se sabe sobre o efeito desse tipo de treinamento na coordenação motora e o quanto o sistema neuromotor é capaz de se adaptar ao estímulo vibratório gerado por esses equipamentos. Buscando esclarecer esses aspectos, o presente estudo terá como objetivo: Verificar o efeito crônico do treinamento de vibração de corpo inteiro (TVCI) na coordenação motora de membros inferiores, equilíbrio e na transmissibilidade em idosos ativos. Para isso, participarão deste estudo 30 idosos de ambos os sexos com idade superior a 60 anos e que atendam aos critérios de inclusão. Serão realizadas 18 visitas ao laboratório de Biomecânica da Universidade Federal de Mato Grosso, sendo a primeira para caracterização da amostra, e coletas do Tapping Foot Test (TFT) e Teste do Alcance Funcional (TAF), sendo que o primeiro avalia a coordenação motora de membros inferiores, onde os voluntários devem ficar sentados em uma cadeira ajustável com os joelhos em um ângulo de 90º, mãos cruzados sobre peito e realizar o máximo número de contatos com os pés alternadamente durante 10s. Para a contagem do número de contatos no TFT será utilizado um tapete de contato. Já para o Teste do Alcance Funcional, que será utilizado para a avaliação do equilíbrio dinâmico, o voluntário ficará em pé, com o ombro direito próximo a uma parede, onde será colocada uma régua ou fita métrica, realizando uma flexão do ombroa 90° com os dedos da mão estendidos. Nessa posição, o comprimento do membro superior direito é registrado. Após o voluntário realizará três tentativa de alcançar algum objeto à frente, sem dar passos ou efetuar qualquer estratégia compensatória. O resultado do teste é representado pela média, das três tentativas com relação à medida da posição inicial. Para as 16 sessões experimentais os participantes serão divididos em dois grupos: Controle (15), que irá realizar o mesmo protocolo do grupo experimental, porém, a plataforma estará desligada, e o grupo Intervenção (15), esse por sua vez, irá realizar o TVCI duas vezes por semana, que irá consistir em quatro séries de 30s de VCI em posição de semi-agachamento isométrico, com intervalos de 30s entre séries a uma frequência de 22hz. Na primeira e ultima sessão experimental será posto um acelerômetro triaxial no tornozelo (INPUT) e na cabeça (OUTPUT), para posterior análise da transmissibilidade. Por fim, ao termino das 16 sessões os voluntários retornarão ao laboratório para serem reavaliados com os mesmos testes aplicados na primeira sessão experimental. Os dados serão salvos em arquivo txt para posterior análise, será realizado o teste Shapiro Wilk, para verificar distribuição dos dados e para possíveis diferenças entre pré e pós intervenção um teste t-pareado o valor de significância dotado será de p<0,05.


Palavras-chave


Vibratória; Adaptação neural