Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Influência de fatores espaciais e ambientais sobre a composição funcional de comunidades de invertebrados aquáticos
Graciele de Barros, Cláudia Tasso Callil, Domingos de Jesus Rodrigues

Última alteração: 08-10-19

Resumo


A abordagem funcional tem ganhado espaço nos estudos de ecologia de comunidades, pois tem buscado explicar a contribuição das espécies no funcionamento do ecossistema através do estudo de suas características funcionais. O objetivo do presente trabalho é avaliar se a composição de traços funcionais da comunidade de invertebrados aquáticos responde às variáveis ambientais em três escalas espaciais: microhabitat, riacho e microbacia. Os dados foram coletados em 36 riachos pertencentes a bacia do Rio Paraguai e Rio Cuiabá, que fazem parte da Bacia do Alto Paraguai. Os atributos funcionais das espécies de invertebrados serão obtidos através de levantamento bibliográfico e da medição de atributos morfológicos. Os dados obtidos serão analisados com o intuito de verificar se a distribuição desses traços ocorre em resposta aos fatores ambientais e às escalas espaciais. Como resultados finais, espera-se que os atributos funcionais se agrupem em função dos fatores ambientais e que ocorram diferentes agrupamentos entre as escalas espaciais. A comunidade de invertebrados aquáticos deste estudo é composta por indivíduos dos grupos: Mollusca, Odonata e Trichoptera. Até o momento, temos como resultados da primeira etapa do trabalho que a comunidade de organismos do filo Mollusca é constituída por 5 famílias, que abrangem 11 gêneros, com um total de 10849 indivíduos, com Melanoides sp. sendo o gênero mais abundante.

 


Palavras-chave


Diversidade funcional; escalas espaciais; Bacia do Alto Paraguai