Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
UMA ANÁLISE DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES INDÍGENA, A PARTIR DO PROGRAMA “AÇÃO SABERES INDÍGENAS NA ESCOLA” – REDE UFMT/POLO CUIABÁ
LEURES ATHAIDE DA SILVA

Última alteração: 07-10-19

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar o processo formativo dos encontros de formação continuada que ocorreram no Polo Cuiabá, por meio do Programa “Ação Saberes Indígenas na Escola” (ASIE), ofertado pela SECADI/MEC e coordenado pelo grupo de pesquisa COEDUC, verificando se os mesmos possibilitaram aos professores indígenas um espaço de aprendizagem potencializado, para contribuir na sua prática pedagógica voltada para atuação no contexto da educação diferenciada, específica, comunitária e intercultural e a elaboração de materiais didáticos bilíngues/multilíngue. O programa ASIE/Rede UFMT (UFMT-UNEMAT-IFMT-UFR) atende 11 povos indígenas, dos 42 residentes no estado de Mato Grosso. Nesta primeira etapa o programa contemplou os povos:  Apiaká, Bororo, Chiquitano, Kaiabi, Kayapó, Munduruku, Nambikwara, Paresi, Terena, Umutina e Xavante, totalizando 110 professores cursistas. O trabalho de formação é organizado em Rede composta por núcleos e seus respectivos polos. Assim, a Rede UFMT, foi organizada em 03 polos: o Polo Cuiabá, Polo Sinop e Polo de Barra do Garças. O programa ASIE visa à formação de professores indígenas para a alfabetização bilíngue e em especial, a produção de materiais didáticos para as escolas das aldeias. O estudo traz uma discussão das leis e referenciais que sustentam a política de atendimento à educação escolar indígena no Brasil. E a partir do levantamento de dados, apresentamos como a rede se constitui para atender a diversidade presente nas formações devido às especificidades de cada povo e da produção de materiais didáticos para alfabetização bilíngues/multilíngue nos diferentes contextos socioculturais.  A metodologia da pesquisa que trazemos se baseia nos pressupostos da pesquisa qualitativa, apresentamos os dados com o intuito de levar a uma melhor reflexão das ações que venham contemplar o desafio que é incluir, de fato, os saberes indígenas nas escolas, desde a alfabetização, pois as escolas das comunidades indígenas se fundamentam, mesmo nos dias atuais, em uma visão disciplinar, ou seja, uma forma fragmentada de lidar com os conhecimentos, modos de agir, sintetizados nas tentativas de homogeneização histórica da colonialidade do saber. com a coleta de dados realizada através da pesquisa documental e entrevista semiestruturada.

Palavras-Chave: Formação Continuada de Professores. Educação Escolar Indígena. Indígenas. Educação Intercultural.


Palavras-chave


formação de professores