Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Mapeamento do meio físico e reserva legal de três áreas-chave no corredor de biodiversidade da Chapada dos Guimarães.
Stela Rosa Amaral Gonçalves, Catia Nunes da Cunha, Gustavo Manzon Nunes

Última alteração: 08-10-19

Resumo


O corredor de biodiversidade da Chapada dos Guimarães está contido na Bacia do Alto Paraguai (BAP), liga o Cerrado ao Pantanal e contém três Áreas-Chave para Biodiversidade (KBAs) denominadas, APA Estadual da Chapada dos Guimarães (MT11), Arica-Açu (MT16) e Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT78). Os municípios que abrangem os KBAs são: Acorizal, Chapada dos Guimarães, Cuiabá, Jangada, Nossa Senhora do Livramento, Poconé, Santo Antônio do Leveger, Várzea Grande e uma pequena área de Rosário Oeste, compreendendo uma área de aproximadamente 9.130 km2 sendo o MT78 a maior entre eles incluindo a capital Cuiabá. Nos três KBAs existem 16 Unidades de Conservação, sendo seis dessas de proteção integral e cinco classificadas como uso sustentável (APA), totalizando aproximadamente 2940 Km2 de área protegida. As três maiores Unidades de Conservação dos KBAs são: APA Estadual da Chapada dos Guimarães, APA Municipal do Arica-açu e o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Devido a influência direta do relevo com as condições e os recursos hídricos encontrados nos ambienteis foram realizados os mapeamentos da hipsometria, declividade, do uso e cobertura da terra e das reservas legais declaradas, com o propósito de reconhecimento da área de estudo por meio de técnicas de geoprocessamento. Em relação ao relevo, com o mapeamento da hipsometria, a amplitude altimétrica foi de aproximadamente 735 metros, sendo as áreas mais baixas encontradas no KBA MT78 e as áreas com maior altitude da divisa entre os KBAs MT11 e MT16 incluindo a cidade de Chapada dos Guimarães. O relevo foi caracterizado, quanto a declividade, predominantemente como plano e suave ondulado ocorrendo em aproximadamente 80% da área. Em relação ao uso e cobertura da terra foi possível compilar os dados do uso e cobertura da WWF, mais recente divulgado referente ao período de seca (abril – setembro) do ano de 2016. No mapa de Uso e Cobertura do Solo dos KBAs foram observadas as seguintes classes de influência antrópica: Agricultura (AC), Pastagem (AP), influencia por Mineração (IM), Influencia Urbana (IU) e Queimadas (QMD), além de formações florestais (FF) e vegetação predominantemente graminóide (SG), assim, o KBA MT11 é predominantemente agrícola enquanto os outros são cobertos por pastagem, formações florestais e savanas gramíneas.  Além do meio físico, também foram mapeadas as reservas legais declaradas no último Cadastro Ambiental Rural (CAR) cujo arquivo foi datado de 24 de outubro de 2018. A área declarada como reserva legal em todos os KBAs foi de aproximadamente 2165 km2 o que corresponde a cerca de 23% da área total.


Palavras-chave


Hipsometria;Uso e cobertura, KBA