Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
GEOQUÍMICA DE SOLOS E CARACTERIZAÇÃO GEOLÓGICA DE MINERALIZAÇÕES POLIMETÁLICAS NA FAIXA CABAÇAL, SUDOESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO
João Paulo Souza Costa, Carlos Humberto Silva

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Resumo: O estado de Mato Grosso apresenta imenso potencial para explotação mineral de elementos base, bem como outros recursos, de modo que a descoberta de novas ocorrências minerais e a viabilização econômica de depósitos por meio de pequenos ou grandes projetos, consolida o estado como importante produtor nacional e internacional, atraindo investimentos, gerando renda, empregos, informação, melhora na qualidade de vida da população local e fortalecendo um setor mineral legal, sustentável, técnico e responsável, que atue como agente de transformação e atenda às demandas trazidas pela sociedade. A distribuição temporal de muitas mineralizações remonta ao paleoproterozoico, configurando certos intervalos da era como importantes épocas metalogenéticas mundiais, nas quais inúmeros depósitos polimetálicos foram formados. No Distrito Aurífero do Alto Jauru, localizado a sudoeste do estado, nas proximidades das cidades de Araputanga, Rio Branco, Jauru, Reserva do Cabaçal e São José dos Quatro Marcos, o embasamento paleoproterozoico é representado pelo Grupo Alto Jauru, que é composto por gnaisses e migmatitos sotopostos à sequências vulcanossedimentares dispostas em três faixas móveis, denominadas de oeste para leste de Jauru, Araputanga e Cabaçal. A área de estudo encontra-se a aproximadamente 17 km da cidade de Araputanga e insere-se na Faixa Cabaçal, possui uma estruturação NW-SE e é constituída por rochas vulcânicas e tufos, em possível contato tectônico com sedimentares pelíticas polideformadas e metamorfizadas na fácies anfibolito, zona da silimanita, com evidências de retrometamorfismo para a fácies xisto verde. Baseado na análise macroscópica de amostras coletadas na primeira etapa de campo constatou-se que a primeira fase de deformação (F1) é marcada pela obliteração do acamamento sedimentar primário (S0) pelo bandamento gnássico (Sn-1). Na segunda fase de deformação (F2) é gerada uma clivagem de crenulação (Sn), perpendicular a Sn-1, que é aparentemente retrabalhada na terceira fase de deformação (F3), resultando na formação de nova clivagem de crenulação (Sn+1) sub-paralela a Sn, com deslocamentos semiverticais da Sn-1. O presente trabalho busca caracterizar a geologia local por meio de mapeamento geológico de detalhe e a descrição petrográfica em microscópios de luz refletida e transmitida, e também estabelecer os limites de valores entre concentrações naturais e anômalas (background) na dispersão de elementos químicos no solo, sendo de interesse econômico ou ambiental. Utilizou-se de análises para multielementos por ICP-OES e fire assay em 150 amostras de solo, fragmentos de rocha e veios de quartzo, para caracterizar e detectar alvos prospectivos com maior potencial de hospedar mineralizações de Cu, Pb, Zn e Au.


Palavras-chave


Prospecção Geoquímica, Anomalias Polimetálicas, Grupo Alto Jauru