Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A EDUCAÇÃO DO CORPO/DISCENTE NA FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: POSSIBILIDADES INTERCULTURAIS.
Jonathan Stroher, Beleni Salete Grando

Última alteração: 07-10-19

Resumo


O presente estudo busca compreender de que forma os conhecimentos oriundos da educação dos corpos/discentes antes e durante a formação em Educação Física possam ser reconhecidos como saberes no processo formativo, na perspectiva intercultural. Tal problematização surge dos acompanhamentos realizados no estágio supervisionado, com ênfase no processo de regência, em que os corpos/discentes, ao planejarem suas atividades, não reconhecem os aspectos culturais que fazem parte, sobretudo, de sua própria corporeidade. Dessa ótica, questiona-se quais relações estão presentes no estágio supervisionado em Educação Física, na relação entre a educação do corpo/discente e corpo/discente educado na formação em Educação Física, na UNEMAT câmpus de Diamantino. Tal inquietação reflete na própria prática docente, enquanto professor da disciplina de estágio supervisionado, por entender que nesse espaço/tempo de formação, as especificidades culturais que caracterizam a região médio-norte do Mato Grosso, marcadas nas corporeidades/discentes, não são colocadas em pauta no momento em que se discutem os conhecimentos necessários para a formação em Educação Física. Para isso, caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa, tendo como referência metodológica a pesquisa participante, em que os sujeitos serão os discentes do estágio supervisionado do curso de licenciatura em Educação Física da UNEMAT câmpus de Diamantino. A pesquisa se divide em três momentos que se complementam no processo investigativo. O primeiro momento consiste na pesquisa histórica e documental, analisando os marcos históricos de colonização de Diamantino, os documentos que regem a encampação da UNEMAT no munícipio, bem como o projeto político do curso. A segunda etapa consiste na aplicação de um Diagnóstico Rápido Participativo (DRP), para levantar as culturais corporais que identificam os corpos/discentes do estágio supervisionado, problematizando tais conhecimentos na relação com o processo formativo pelo qual passaram. A terceira etapa busca problematizar tais conhecimentos corporais como possibilidades de planejamento das atividades nas ações desenvolvidas no estágio supervisionado, tomando como referência a perspectiva Intercultural. Na terceira etapa, serão analisados os relatórios de observação e regência, os planos de aula e discussões nas orientações coletivas do estágio, que serão anotadas em um caderno de campo.  Após todas as coletas de dados, serão analisados de forma interpretativa, na relação com o referencial teórico que a pesquisa assume. Compreender a educação do corpo amalgamada à Educação Intercultural nos permite refletir sobre como os corpos/discentes podem ser considerados detentores de um saber que não seja anulado pelo conhecimento acadêmico/técnico/científico que estrutura a formação em Educação Física tradicional, indicando a necessidade de uma Formação em Educação Física Intercultural.

Palavras-chave


Inteculturalidade; Educação do corpo; Formação em Educação Física.