Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Cartografias da relação pelas poéticas e potências do encontro em espaços da cidade
Gustavo Henrique de Faria Fernandes

Última alteração: 15-10-19

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo investigar ações para perceber o encontro como potência relacional na arte, mobilizando o diálogo com espaços do cotidiano na contemporaneidade e valorizando suas narrativas por meio de cartografias. Para tanto, se tem realizado a criação e análise de situações poéticas em espaços da cidade, e realizado a escuta das pessoas que os ocupam, levantando pistas de como o encontrar pode se dar como ato político e de resistência. Nesse sentido, partindo do diálogo com Espinosa (2009) e suas contextualizações sobre afetos, Rancière (2009) e suas reflexões sobre os conceitos do comum e da partilha do sensível, Larrosa (2002) e suas conceituações sobre experiência como algo que nos atravessa e Rolnik (2016) e seu diálogo com as subjetividades contemporâneas, esta pesquisa procura indícios se ao movimentar memórias, afetos e desejos de proximidade, podemos criar outras formas para estarmos juntos. As ações que foram desenvolvidas em um bairro de Cuiabá- MT com a entrega de postais aquarelados e micronarrativas e em um espaço da cidade de  Sorocaba - SP com a distribuição de flores lançam pistas de que as poéticas da proximidade venham da relação entre o eu e o outro mediados por um comum. Larrosa narra que a experiência chama a palavra e não ao contrário. Assim, cartografando narrativas por meio dessas situações poéticas e ocupações sócio estéticas como reflete Azevedo (2019), analisamos que tais proximidades podem valorizar as subjetividades e potências dos seres, que com elas se relacionam e nos lugares onde elas se desenvolvem.


Palavras-chave


encontro; cartografia; memória; arte e afeto