Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
DIAGNÓSTICO E CONTROLE DA TRAÇA-DAS-CRUCÍFERAS (Plutella xylostella) ADOTADO POR AGRICULTORES FAMILIARES NO MUNICÍPIO DE LUCAS DO RIO VERDE E REGIÃO E, RELATO DE INIMIGOS NATURAIS NAS LAVOURAS DE BRÁSSICAS
Arthur Yoshio Gemelli, MARLITON ROCHA BARRETO

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Dos alimentos que chegam até a mesa das famílias, 70% tem origem na agricultura familiar. Dentro das inúmeras frutas e verduras comercializadas pela agricultura familiar, a família das brássicas tem grande destaque, representada pelo repolho, couve-flor, brócolis e couve-folha. No cultivo destas plantas, a principal praga é a traça-das-crucíferas (Plutella xylostella L. 1758) que, se não for controlada pode trazer grandes prejuízos. O principal controle da traça ocorre por meio do controle químico com o uso de inseticidas, mas, seu uso vem sendo minimizado com o auxílio dos inimigos naturais. O objetivo deste estudo é realizar um diagnóstico das práticas de controle da traça-das-crucíferas adotado pelos agricultores familiares, relacionando os produtos utilizados no controle, as metodologias de cultivo, o uso do manejo integrado de pragas, etnoconhecimento e, relatando a presença de inimigos naturais nas lavouras de brássicas. Como metodologia, será utilizado a metodologia de Bola de Neve e questionário semiestruturado para entrevistar os agricultores. Serão aceitos apenas agricultores familiares que possuírem produção maior que 100 maços de couve-folha por dia, além disso, será firmado um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (Parecer do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso de nº 2.902.137). Os produtores entrevistados irão responder diversas questões sobre o tema. Dez produtores de couve-folha serão escolhidos para receberem cada um, 3 armadilhas adesivas amarela de 100cm², a serem instaladas em suas lavouras de couve-folha. Essas armadilhas ficarão expostas por um período de 7 dias na lavoura, sendo retiradas e armazenadas com filme plástico. Este processo será repetido a cada 20 dias, durante 12 meses. As armadilhas serão instaladas a uma altura correspondente com a altura da planta. As armadilhas servirão para capturar os insetos presentes nas lavouras de couve-folha. Os inimigos naturais capturados serão classificados até o nível de família e, os demais insetos capturados serão classificados até o nível de ordem. Os dados obtidos nas entrevistas e na coleta das armadilhas serão armazenados em um banco de dados em Microsoft Excel e as análises estatísticas serão realizadas com o software R. Esta pesquisa apresentará um panorama geral de como os pequenos e médios agricultores tratam seus cultivares, se usam ou não agentes químicos, o conhecimento sobre a traça, se há dificuldade no controle, as metodologias, o conhecimento popular, e irá relatar a ocorrência de inimigos naturais da traça nas lavouras.


Palavras-chave


Conhecimento popular; Couve-folha; predadores; Praga.

Referências


Albuquerque U. P., Lucena R. F. P., Alencar N. L. Methods and Techniques Used to Collect Ethnobiological Data. In: Albuquerque, U.P., Cruz da Cunha, L.V.F., Lucena, R.F.P., Alves, R.R.N. (Eds.). Methods and techniques in Ethnobiology and Ethnoecology. New York: Springer, p. 15–37. 2014.

HOLTZ, A. M.; RONDELLI, V. M.; CELESTINO, F. N.; BESTETE, L. R.; CARVALHO, J. R. de; Praga das Brássicas. Colatina – ES: IFES, 2015.

JIANG, T.; WU, S.; YANG, T.; ZHU, C.; GAO, C. Monitoring field populations of Plutella xylostella (Lepidoptera: Plutellidae) for resistance to eight insecticides in China. Florida Entomologist, Flórida, v. 98, n. 1, p. 65-73, 2015.

THULER, R. T.; BORTOLI, S. A.; GOULART, R. M.; VIANNA, C. L. T. P.; PRATISSOLI D.  Interação tritrófica e influência de produtos químicos e vegetais no complexo: brássicas x traça-das-crucíferas x parasitóides de ovos. Ciência Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 4, p. 1154-1160, 2008.

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, v. 22, n. 44, p. 203-220. 2014