Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeito do composto morina (C15H10O7) na prevenção da disfunção celular induzida por peróxido de hidrogênio em células de fibroblastos de pulmão de hamster (células V79).
Fhelipe Jolner Souza de Almeida, Marcos Roberto de Oliveira

Última alteração: 05-10-18

Resumo


O desequilíbrio entre os mecanismos de defesa antioxidante endógenos de um dado sistema biológico e a produção, em níveis elevados, de espécies reativas, representadas principalmente por aquelas que apresentam oxigênio e nitrogênio em sua estrutura química, é comumente conhecido como estresse oxidativo. Tal condição é predominante no declínio da viabilidade celular, causando danos a moléculas como DNA, proteínas e lipídios. O desequilíbrio redox contribui para o surgimento de doenças metabólicas, cardiovasculares além de processos inflamatórios, neurodegenerativos e câncer. Nos últimos anos, diferentes grupos de pesquisa têm investigado se o mecanismo citoprotetor de compostos bioativos de origem natural poderia desempenhar atividade na prevenção ou tratamento de diferentes patologias. Havendo intoxicação ou infecção, devido a susceptibilidade a agentes toxicantes nos pulmões, o desequilíbrio na biologia redox desses órgãos pode culminar em excessiva morte celular de componentes cruciais à função, como as células formadoras dos alvéolos e fibroblastos que constituem o tecido conjuntivo pulmonar. O objetivo deste estudo é investigar se a morina (molécula encontrada em vegetais da família Moraceae), apresenta função citoprotetora na linhagem de células de fibroblastos de pulmão de hamster (células V79) quando expostas a agentes estressores, como o peróxido de hidrogênio (H2O2), o qual é formado nos pulmões tanto fisiológica quanto patologicamente. A viabilidade celular será quantificada pela redução do MTT a formazana, em placas de 96 poços com meio apropriado para adesão, cultivadas na presença e ausência de diferentes concentrações de morina por 24h. A avaliação dos níveis de marcadores de estresse oxidativo, nitrosativo e quadro pró-inflamatório serão determinados por ELISA usando kit comercial. Mitocôndrias serão isoladas e a atividade de cada complexo da cadeia transportadora de elétrons será avaliada utilizando-se kits comerciais, conforme recomendação do fabricante, bem como, a determinação do potencial e qualidade da membrana mitocondrial. O H2O2 induz disfunção mitocondrial, desequilíbrio redox e inflamação celular em mamíferos. Neste sentido, evidencia-se um modelo pertinente em casos de disfunção de células de fibroblastos de pulmão de hamster (V79), conforme o modelo aqui apresentado.

Palavras-chave


Estresse oxidativo, biologia redox, morina.