Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Idosos frequentadores de centro de convivência podem desenvolver risco de sarcopenia, pré-sarcopenia e sarcopenia?
Iara dos Anjos Vaez

Última alteração: 05-10-18

Resumo


Vaez IA1,Pexe-Machado P2, Arruda WSC2, Bering T3, Aguilar-Nascimento JE4,Dock-Nascimento DB4.

1Mestranda em Ciências da Saúde da Faculdade de Ciências Médicas/UFMT, 2Professor do Curso de Nutrição do UNIVAG, 3Professor do Curso de Nutrição da Faculdade de Nutrição/UFMT, 4Professor Orientador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúda da Faculdade de Ciências Medicina /UFMT, Cuiabá – MT.

Introdução: O processo de envelhecer acontece naturalmente com perda progressiva e generalizada da massa, da força e da performance muscular. A sarcopenia é conceituada como a perda da massa muscular associada a perda da força ou da performance. Objetivo: Avaliar o risco de sarcopenia a presença de pré-sarcopenia, sarcopenia e sarcopenia grave em idosos de 4 centros de convivência de Cuiabá-MT/Brasil. Método: Estudo de corte transversal, realizado com 321 idosos de 4 centros de convivência em Cuiabá-MT/Brasil. As variáveis principais foram: o Questionário SARC-F (Strength, Assistance with walking, Rise from a chair, Climb stairs and Falls) para determinar o risco de sarcopenia e a circunferência a panturrilha para avaliar a pré-sarcopenia. Os idosos considerados em risco, apresentaram uma pontuação  para SARC-F ≥4 e os em pré-sarcopenia CP ≤ 33 cm para feminino e ≤ 34 cm para masculino. A presença de sarcopenia e sarcopenia grave foi diagnosticada utilizando os critérios do European Working Group on Sarcopenia in Older People (EWGSOP). Foi avaliado: a idade (anos), o estado nutricional (mini avaliação nutricional reduzida), a força de preensão palmar (FPP;Kg) e a velocidade de marcha (m/s). Resultado: foram estudados 321 idosos com 64,4±6,5 (60-91) anos, sendo 81,3% do sexo feminino. Em relação ao estado nutricional, 24,7 % dos idosos foram considerados não nutridos (n=79) pela MNA reduzida. A pré-sarcopenia (pela circunferência da panturrilha) esteve presente em 18,5% (n=58) e o risco (pelo SARC-F) em 17,2% (n=55) dos idosos. O diagnóstico de sarcopenia ocorreu 13% (n=41) e a sarcopenia grave em 2,2% (n=7) dos idosos estudados. Conclusão: Menos de 1/5 dos idosos foram classificados com pré-sarcopênicos ou em risco de sarcopenia e aproximadamente 15% foram diagnosticados com sarcopenia e menos de 3% com sarcopenia grave.