Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Investigação de estratégias de interferência da replicação de arbovírus em culicídeos vetores capturados em Cuiabá, MT
Otacilia Serra Moraes, Rosane Christine Hahn, Renata Dezengrini Slhessarenko

Última alteração: 05-10-18

Resumo


Os arbovírus são mantidos em ciclos epidemiológicos envolvendo hospedeiros vertebrados, a exemplo dos primatas, aves e humanos, sendo transmitidos a estes através de vetores artrópodes hematófagos. O homem é considerado hospedeiro acidental para a maioria desses agentes associados à ocorrência de surtos de doença febril aguda e indiferenciada, principalmente em ambiente urbano, representando assim, um importante problema de saúde pública.  A infecção vetorial ocorre por vias horizontal, vertical ou venérea e, uma vez infectado, assim o vetor permanece até o fim de sua vida, sendo, portanto, competente para transmissão do patógeno aos hospedeiros. Os culicídeos pertencentes aos gêneros Culex e Aedes são responsáveis pela transmissão de grande parte dos arbovírus ao homem. A interferência na replicação de arbovírus em vetores pela infecção concomitante com microrganismos endossimbiontes tem sido demonstrada experimentalmente. Neste estudo, objetivou-se promover a identificação molecular de organismos endossimbiontes, bactérias do gênero Wolbachia, em populações de mosquitos adultos naturalmente infectados capturados na cidade de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, associando-se estes dados à positividade desses culicídeos para arbovírus. Fêmeas adultas de Culicídeos (n=4.556), pertencentes a 14 espécies foram coletadas em 200 setores censitários urbanos, e separadas em pools segundo sexo, espécie, data e local de coleta. Cada pool contendo 1-20 fêmeas foi submetido à extração de DNA total com TRIZOL, de acordo com recomendações do fabricante e, em seguida, o DNA extraído foi submetido a reações de Duplex-Semi-Nested-PCR para identificação de linhagens de Wolbachia pipientis, com a utilização de primers específicos. Os produtos de PCR dos pools positivos foram purificados e sequenciados e as sequências obtidas foram analisadas e submetidas ao BLAST (NCBI) para confirmação das linhagens de Wolbachia. 217/408 (53,2%) pools de Cx. quinquefasciatus foram analisados, dos quais 85 (39,2%) foram positivos para o supergrupo B do gene de superfície wsp de Wolbachia pipientis. As sequências obtidas revelaram 96-100% de similaridade com outras sequências depositadas no GenBank. Evidências sugerem que a bactéria endossimbionte Wolbachia pipientis e certos vírus específicos de insetos, como os Culex flavivírus, são capazes de reduzir a população de vetores de arboviroses ou mesmo interferir com a replicação de alguns arbovírus nestes culicídeos, representando assim, uma estratégia autossustentável e de baixo custo de controle biológico populacional dos vetores.


Palavras-chave


culicídeos, endossimbiontes, wolbachia