Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
OIKOS QUILOMBOLA - Arte-educação-ambiental e a poética do pau a pique
CARLOS ROBERTO FERREIRA

Última alteração: 31-10-18

Resumo


OIKOS QUILOMBOLA:

Arte-educação-ambiental e a poética do pau a pique

 

Resumo

Compreender o sentido da Casa da Cultura Quilombola e sua poética enquanto uma Oikos – ambiente da casa habitado, espaço e lugar do professor no encontro do aluno com a educação, comunhão da família na cotidianidade da Comunidade Mata Cavalo, no município de Nossa Senhora do Livramento – MT. A compreensão investigativa será ressignificada enquanto espaço de referência da escola e da cultura local, construída por meio de práticas pedagógicas respaldadas pela arte–educação–ambiental e suas práxis reflexivas. A Cartografia do Imaginário terá assento fenomenológico enquanto metodologia, conjugando saberes com o Projeto Ambiental Escolar Comunitário – PAEC, em eminente diálogo com a Arte-educação, cujo Processo de Formação com as cartografias: da ÁGUA, da TERRA, do FOGO e do AR, investigará as catástrofes físicas ambientais presentes na Casa da Cultura, provocadas pelas mudanças e alterações climáticas locais. No interior dessa casa-patrimônio-ambiental, beberemos no pote de barro a água da formação, na busca de uma viagem científica; enfrentaremos o processo “dolorido” da deformação, tentando vencer os obstáculos com a força da terra; entregar-nos-emos à combustão da transformação desejada com a força do fogo e por fim e talvez, teremos tempo para repousar na busca de uma reformação, ativar a memória e respirar o ar de um novo ciclo, considerando o encantamento e o reencantamento do processo da pesquisa, na Oikos que habitamos.

 

Palavras-chave: Oikos Quilombola. Arte–educação–ambiental. Justiça Climática. Poética.


Palavras-chave


Oikos Quilombola. Arte–educação–ambiental. Justiça Climática. Poética.

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BACHELARD, Gaston. A Terra e os Devaneios da Vontade: Ensaio sobre a imaginação das forças. Trad. Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2013.

____________________. A Terra e os Devaneios do Repouso: ensaio sobre as imagens da intimidade. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

____________________. O Ar e os Sonhos: Ensaio sobre a imaginação do movimento. Trad. Antonio de Pádua Danesi. 2ª. Ed. São Paulo: Martins, fontes, 2001.

____________________. A Psicanálise do Fogo. Trad. Paulo Naves. 3ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, selo Martins, 2008.

___________________. A Água e os Sonhos: Ensaio sobre a imaginação da matéria. Trad. Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1.997.

___________________. A Poética do Espaço. Trad. De Antonio da Costa Leal e Lídia do Valle Santos Leal. 2ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

___________________. A intuição do instante. Trad. Antonio de Pádua Danesi. Campinas, SP: Versus Editora, 2007.

 

BARBOSA, Ana Mae. Arte-Educação, Conflitos e Acertos. São Paulo: Max Limonad, 1985.

___________________. (Org.) ARTE-EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA: Consonâncias internacionais. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 2008.

___________________. (Org.) História da Arte-educação. 1ª. Ed. São Paulo: ECA-USP, 1986.

BARROS, Manoel. Gramática Expositiva do Chão (poesia quase toda) 2ª Edição. São Paulo: Civilização Brasileira, 1992.

 

BELÉM, Ivan. Liu Arruda: A travessia de um Bufão. Cuiabá-MT: Carlini & Caniato Editorial, 2016

 

LOPES, Almerinda da Silva. Arte e conhecimento: o ensino da arte e a formação do educador. Anais. Vitória, 1993.

 

PASSOS, Luiz Augusto; SATO, Michele. Estética da Carta da Terra: pelo prazer de (na tensividade) conviver com a diversidade! In: RUSCHEINSKY, Aloísio (Org.) Educação ambiental - abordagens múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 2002, p. 15-36.

_____________ ARTE–EDUCAÇÃO–AMBIENTAL. AMBIENTE & EDUCAÇÃO. vol. 14, 2009.

 

Processo Formador em Educação ambiental a Distância: módulo 4: projeto ambiental escolar comunitário. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Comunitária, alfabetização e Diversidade, 2009.

 

Processo Formador em Educação ambiental a Distância. Conteúdo Local: Educação Ambiental e Mudanças Ambientais Globais. Cuiabá: UAB/UFMT, 2009.

 

RAMMÊ, Rogério Santos. A Justiça Ambiental e sua contribuição para uma abordagem ecológica dos direitos humanos. Revista de Direitos Ambientais: Vol. 69, DTR, 2013.

_______________________ A POLÍTICA DA JUSTIÇA CLIMÁTICA: CONJUGANDO RISCOS, VULNERABILIDADES E INJUSTIÇAS DECORRENTES DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS. Revista de Direitos Ambientais: Vol. 65, DTR, 2012.

 

SATO, Michèle. Cartografia do imaginário no mundo da pesquisa. João Pessoa: Ed. UFPB, 2011.

 

TAMAIO, Irineu. EDUCAÇÃO AMBIENTAL & MUDANÇAS CLIMÁTICAS: Diálogo necessário num mundo em transição. Série Educativa. Ministério do Meio ambiente. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental. Brasília, Gráfica e Editora Movimento, 2013.