Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Obesidade induzida por sacarose é associada com depressão das funções cardíaca e vascular
Milena Nascimento, Cristina Schmitt Gregolin, Sérgio Luiz Borges de Souza, Silméia Garcia Zanati, Renata Azevedo Melo Luvizotto, André Ferreira do Nascimento

Última alteração: 28-09-18

Resumo


A obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo, sendo considerada um problema de saúde pública, uma vez que sua prevalência mundial dobrou nos últimos trinta anos. Essa condição pode influenciar o estado de bem-estar do indivíduo, desde que o acúmulo de tecido adiposo é considerado um fator de risco para o desenvolvimento de diversas doenças crônicas, entre elas, as doenças cardiovasculares. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito da obesidade induzida por sacarose sobre a função cardiovascular. O protocolo de estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética sob n°23108.904930/2017-98. Ratos Wistar machos foram divididos em dois grupos: controle (C) e açúcar (A). O grupo C recebeu ração padrão e água ad libitum, enquanto o grupo A recebeu ração padrão e água com sacarose (300 g/L) durante oito semanas. Ao término do período experimental, a função cardíaca foi avaliada in vivo por meio do ecocardiograma, bem como a pressão arterial pela técnica de pletismografia caudal. Após a eutanásia, a obesidade e o conteúdo sérico de triacilglicerol foram caracterizados. A função vascular foi determinada pela técnica de reatividade vascular. Os dados foram apresentados em média e desvio padrão. A comparação entre os grupos foi realizada por meio do teste t de Student, sob confiança de 95%. O consumo de sacarose promoveu obesidade, caracterizada pelo aumento de peso e gordura corporal, a qual foi associada à um quadro de hipertrigliceridemia e ausência de hipertensão arterial. Os animais obesos apresentaram hipertrofia cardíaca concêntrica do ventrículo esquerdo (VE), demonstrada pela diminuição do diâmetro diastólico do VE, aumento da espessura diastólica da parede posterior e aumento da espessura diastólica do septo interventricular, em associação à redução do volume diastólico do VE e aumento da massa do VE. A alteração morfológica não foi associada com disfunção diastólica, uma vez que não houve diferença entre os grupos para as ondas E e A e razão E/A; entretanto, foi relacionada com aumento do átrio esquerdo e disfunção sistólica, caracterizada por diminuição do débito cardíaco, do volume sistólico do VE e da fração de ejeção, bem como redução da velocidade de encurtamento da parede posterior do VE e da porcentagem de encurtamento endocárdico. Quanto à função vascular, o grupo A apresentou menor resposta máxima contrátil em relação ao grupo C em segmentos de aorta, na presença ou ausência de endotélio, quando submetidos ao agente vasoconstritor fenilefrina. Quanto ao relaxamento, não houve qualquer alteração entre os grupos para a resposta relaxante máxima quando submetidos aos agentes vasodilatadores acetilcolina e nitroprussiato de sódio. Em conclusão, o estado de obesidade induzido por sacarose foi associado com depressão da função cardiovascular.

Palavras-chave


obesidade; hipertrofia cardíaca; função cardíaca; função vascular

Referências