Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
TÍTULO: FATORES PSICOSSOCIAIS E LABORAIS ASSOCIADOS AO RISCO DE SUICÍDIO ENTRE ENFERMEIROS E MÉDICOS DA ÁREA HOSPITALAR.
Fernanda de Oliveira Freire

Última alteração: 03-10-18

Resumo


 

O comportamento suicida envolve ideias, planos, tentativa de suicídio até o ato consumado, a morte. Esse fenômeno exerce forte impacto na saúde pública, na medida em que envolve anos potenciais de vida perdidos e prejuízos familiares, sociais e econômicos. Portanto, a detecção precoce de pessoas em risco, assim como seus fatores associados se constitui em desafio. Os profissionais de saúde de um ambiente hospitalar vivenciam, em sua atividade laboral, situações como perdas, dor e morte de seus pacientes dentre outras, e tais condições podem predispor ao sofrimento psíquico e consequentemente aumentar o risco de suicídio entre esses profissionais.  Estudos têm mostrado que as taxas de suicídio nessa população são mais elevadas do que à população em geral, e que vários são os fatores associados ao risco de suicídio, alguns comuns à população em geral e outros relacionados à profissão, como o acesso a drogas medicamentosas e o conhecimento da utilização dessas substâncias. Diante da complexidade da temática, este estudo objetiva analisar os fatores psicossociais e laborais associados ao risco de suicídio entre enfermeiros e médicos da área hospitalar. Estudo de abordagem quantitativa do tipo transversal a ser realizado com profissionais de saúde lotados no Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), Cuiabá-MT, no período de julho a setembro de 2018. Foram incluídos no estudo enfermeiros e médicos do HUJM independente do tipo de vínculo empregatício. Exclui-se os docentes enfermeiros e médicos da Universidade Federal de Mato Grosso que realizam plantões no hospital. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados: questionário fechado com variáveis sociodemográficas, econômicas, profissionais e histórico de comportamento suicida do profissional, de familiares e de amigos; o International Neuropsychiatric Interview (MINI), uma entrevista diagnóstica destinada à triagem de saúde mental e identifica o risco de suicídio; Duke University Religion Index (DUREL) que avalia a religiosidade; Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test (ASSIST), instrumento de triagem sobre o uso de nove classes de substâncias psicoativas; a Depression, Anxiety and Stress Scale (DASS-21) que avalia a presença de sintomas de depressão, ansiedade e estresse e a Job Stress Scale (JSS), que avalia o estresse no ambiente de trabalho. A análise será realizada por meio de frequência absoluta e relativa, análise bivariada (Qui –quadrado de Pearson) considerando nível de significância p < 0,05 e intervalo de confiança (IC) de 95% e regressão de Poisson na análise múltipla. As variáveis que apresentarem valor de p menor que 0,20 serão testadas nesse modelo e permanecerão no modelo final as variáveis que apresentarem p <0,05, com seus respectivos IC de 95%.  O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HUJM sob o parecer nº 2.744.116. Como resultados esperados busca-se identificar o risco de suicídio entre os profissionais, bem como os diferentes fatores associados. O diagnóstico situacional resultante do estudo é importante por gerar dados epidemiológicos escassos no Brasil e inexistentes no estado de Mato Grosso, além de possibilitar o direcionamento de estratégias preventivas contribuindo com a diminuição do agravo nesse grupo populacional.


Palavras-chave


Enfermeiros; Médicos, Suicídio.

Referências


BOTEGA, Neury José; CAIS, Carlos Filinto da Silva. Comportamento suicidda. In: BOTEGA, Neury José; RAPELI, C. B.; CAIS, C. F. S. Comportamento suicida. Prática psiquiátrica no hospital geral: interconsulta e emergência, v. 2, p. 431-445, 2012. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=BWAwDwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT311&dq=.+Comportamento+suicida&ots=sMZAM05r_5&sig=oG-i3LQcWfcZTD1KFhC0dBHI40M#v=onepage&q=.%20Comportamento%20suicida&f=false. Acesso em:  23 jun. 2017.

DATASUS. Óbitos por causas externas – Brasil. Óbitos por residência por sexo segundo Região/Unidade da Federação. Grande Grupo CID10: X60-X84 Lesões autoprovocadas voluntariamente. Período: 2016. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ext10uf.def. Acesso em 24 maio. 2018.

ALVES, Márcia Guimarães de Mello et al. Versão resumida da" job stress scale": adaptação para o português. Revista de Saúde Pública, v. 38, p. 164-171, 2004. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0034-89102004000200003&script=sci_arttext&tlng=e. Acesso em: 10 ago. 2017.

 

AMORIM, Patrícia. Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI): validação de entrevista breve para diagnóstico de transtornos mentais. Revista Brasileira de Psiquiatria 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbp/v22n3/v22n3a01.pdf>  Acesso em 11 abr. 2017.

 

HENRIQUE, Iara Ferraz Silva et al. Validação da versão brasileira do teste de triagem do envolvimento com álcool, cigarro e outras substâncias (ASSIST). Revista da Associação Medica Brasileira, v. 50, n. 2, p. 199-206, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v50n2/20784. Acesso em 20 de maio de 2017.

KOENIG, Harold; PARKERSON JR, George R.; MEADOR, Keith G. Religion index for psychiatric research. 1997. Disponível em: http://psycnet.apa.org/record/1997-04662-033. Acesso em 06 de maio de 2018.

TAUNAY, T. C. D. et al. Validação da versão brasileira da escala de religiosidade de Duke (DUREL). Revista de Psiquiatria Clínica, v. 39, n. 4, p. 130-5, 2012. Disponível em: http://www.espiritualidades.com.br/Artigos/M_autores/MOREIRA-ALMEIDA_Alexander_et_alii_tit_Validacao_da_versao_brasileira_da_escala_de_religiosidade_de_Duke.pdf. Acesso em 02 de maio de 2018.

VIGNOLA, Rose Claudia Batistelli; TUCCI, Adriana Marcassa. Adaptation and validation of the depression, anxiety and stress scale (DASS) to Brazilian Portuguese. Journal of affective disorders, v. 155, p. 104-109, 2014. Disponível em: https://www.jad-journal.com/article/S0165-0327(13)00773-8/abstract. Acesso em 02 de maio de 2018.