Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA EFETIVAÇÃO DO PRÉ-NATAL MASCULINO REALIZADA POR ENFERMEIROS EM UNIDADES DE SAÚDE DE CUIABÁ
Kauana Meire Pereira Guerra

Última alteração: 03-10-18

Resumo


A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) foi criada em 2009 e traz como enfoque central o atual cenário do padrão de adoecimento, violência, mortalidade de homens, assim como os aspectos relacionados à reprodução e sexualidade. Sua proposição ocorreu com vistas a alcançar, com sua implementação, a redução dos altos índices de morbimortalidade, que vem aumentando, fato que tem interferido na expectativa de vida desta população. A PNAISH aposta no eixo temático paternidade e cuidado, através de uma estratégia denominada de Pré-natal do Parceiro, que deve ser desenvolvido durante o pré-natal gestacional, como forma de implementar ações com grande potencial para ampliar o acesso, a escuta e o acolhimento dos homens nos serviços de saúde, além de qualificar as práticas de cuidado com a saúde no âmbito do SUS. Sendo assim, configura-se como uma importante e fundamental ferramenta a ser empregada, constituindo a atenção básica como porta de entrada preferencial de homens nos serviços de saúde, aproveitando sua presença nas consultas relacionadas à gestação para ofertar exames de rotinas e testes rápidos, tentando, concomitantemente, incentivá-los a participarem das atividades de educação em saúde e estimulando o exercício da paternidade consciente, objetivando a integralidade no cuidado à população masculina. O objetivo deste estudo será analisar a efetivação do Pré-natal Masculino realizado por enfermeiros de Unidades Básicas de Saúde (UBS) de uma regional de saúde do município de Cuiabá-MT. Propomos a realização de um estudo descritivo de abordagem qualitativa, onde os sujeitos serão aqueles profissionais enfermeiros envolvidos diretamente no atendimento às gestantes durante o pré-natal e que estão em acompanhamento nas UBS da regional a ser escolhida conjuntamente com a Secretaria Municipal de Saúde. O critério para escolha das UBS será: unidades que possuírem maior número de gestantes cadastradas no SISPRENATAL no período estabelecido para o desenvolvimento da pesquisa. Os dados serão coletados por meio do preenchimento de questionário sociodemográfico profissional para a caracterização dos sujeitos; entrevista semiestruturada com perguntas norteadoras para a identificação de ações dentro do pré-natal do parceiro voltadas para a integralidade da saúde do homem. Outro instrumento que será empregado na coleta de dados será a observação participante como observador no momento das consultas de pré-natal à gestante com a finalidade de verificar se as ações voltadas ao homem são desenvolvidas e ainda identificar as possíveis potencialidades e fragilidades que surgem durante o atendimento com respectivas anotações em diário de campo. Os dados serão transcritos após a realização de cada coleta e analisados conforme análise temática. O estudo será submetido ao comitê de ética em pesquisa, respeitando desta forma, a Resolução nº 510 de 2016 do Conselho Nacional de Saúde, que dispõe sobre Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisa envolvendo seres humanos.

 

 


Palavras-chave


Pré-natal; Pré-natal do Parceiro; Saúde do Homem

Referências


ARAÚJO et. al., Diário de pesquisa e suas potencialidades na pesquisa qualitativa em saúde. Revista Brasileira Pesquisa em Saúde, v. 15, n. 3, 2013. Disponível em: <http://periodicos.ufes.br/RBPS/article/viewFile/6326/4660>. Acesso em: 16 de setembro de 2017.

BARDIN, L. Análise do conteúdo. Lisboa: Edições70, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde Brasil 2014: uma análise da situação de saúde e das causas externas. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Conselho nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Publicada no DOU nº 98, 24 de maio de 2016, Sessão 1, p. 44-46, 2016.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia Científica. 4ª ed., São Paulo, SP: Makron Books, 1996.

HERMANN, A., et al. Guia do Pré-Natal do Parceiro para Profissionais de Saúde. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de Saúde do Homem. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde, 55 p. 1º edição. 2016.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28º ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.