Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Novas espécies de vírus na glândula salivar de mosquitos culicíneos capturados no Pantanal Norte de Mato Grosso, Brasil
LAURA MARINA SIQUEIRA MAIA, Andressa Z. de Lara Pinto, Michellen S. Carvalho, Fernando Lucas de Melo, Bergmann M. Ribeiro, Renata Dezengrini Slhessarenko

Última alteração: 05-10-18

Resumo


O estado de Mato Grosso apresenta condições climáticas e ecológicas favoráveis a ocorrência de ciclos epidemiológicos das arboviroses, com grande disponibilidade de espécies de vetores. Dentre eles evidencia-se a subfamília Culicinae, que abriga as principais espécies implicadas na transmissão de arbovírus. Este estudo objetiva identificar a biodiversidade viral na glândula salivar de mosquitos culicíneos coletados no Pantanal de Mato Grosso. Ao todo, foram coletados 1.657 culicíneos pertencentes a 16 espécies, com o predomínio de Psorophora albigenu (1.085; 65,4%) utilizando-se armadilhas CDC (18:00-06:00) e aspiradores de Nasci (13:00-18:00) nos período chuvoso, intermediário e seco, em cinco parcelas do RAPELD Pirizal, Pantanal Norte. Os mosquitos foram identificados em estado de dormência segundo chave dicotômica e após a dissecação da glândula salivar foram armazenados em pools a -80°C. Os pools foram submetidos a extração de RNA viral, transcrição reversa, síntese da fita dupla de cDNA, amplificação randômica viral por PCR em quintuplicata e sequenciamento de alto rendimento (Illumina HiSeq 2500). Após análise das sequências, identificou-se a presença de 12 vírus associados a glândula salivar dos culicíneos, 9 deles tratam-se de novas espécies virais pertencentes a 7 famílias. Os vírus foram nomeados de acordo com as espécies de culícineos onde foram identificados. Identificamos o genoma de um novo membro da família Iflaviridae, nomeado Psorophora albigenu iflavirus com 8.973 pb; e regiões do genoma de dois novos membros da família Flaviviridae, Aedes flavivirus (461 pb) e Sabethes gymnothorax flavivirus (1.623 pb);  um novo vírus da família Chuviridae, nomeado de  Sabethes gymnothorax chuvirus (864 pb); na família Reoviridae, nomeado de Sabethes gymnothorax orbivirus segmento VP1 com 2.854 pb; na família Rhabdoviridae, nomeado de Coquillettidia vesiculovirus (2.810 pb); na família Circoviridae, nomeado de Psorophora albigenu circovirus (707 pb) e dos segmentos de dois novos vírus na família Phenuiviridae, nomeados Aedes scapularis phlebovirus com 7.706 pb no segmento L, 1.402 pb no segmento S e 943 pb no segmento M e Sabethes gymnothorax phlebovirus com 444 pb no segmeto L. Também foram detectados neste estudo vírus já relatados em estudo prévio na Chapada dos Guimarães: Lobeira (Dielmorhabdovirus), Murici (Totivirus) e Araticum (Partitivirus) em pools de Psorophora albigenu e Sabethes gymnothorax nos períodos chuvoso e seco. Estudos de metagenomica contribuem para o conhecimento da diversidade viral, bem como são importantes para estudos de evolução e taxonomia viral.

Palavras-chave


Mosquitos Culicinae, sequenciamento de alto rendimento, diversidade viral