Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
PESQUISA DE LEVEDURAS DO GÊNERO CRYPTOCOCCUS EM EXCRETAS DE PÁSSAROS PSITACÍDEOS E PASSERIFORMES NO ESTADO DE MATO GROSSO
Nathan Pereira Siqueira, Rosane Christine Hahn, Ronaldo Sousa Pereira

Última alteração: 05-10-18

Resumo


A criptococose é uma doença fúngica, oportunista, causada por uma levedura encapsulada do gênero Cryptococcus. O mesmo é constituído por diversas espécies, entretanto duas em especiais são responsáveis pela ocorrência em humanos, sendo elas: C. neoformans e C. gatti. São distribuídas em diversas fontes ambientais, inclusive presentes na ambiência de diversos pássaros como psitacídeos e passeriformes. As leveduras deste gênero, dispõem de um gene que codifica uma enzima denominada de fenoloxidase, quando em contato com o substrato (compostos fenólicos) presente no ágar níger, produzem melanina apresentando suas colônias de cor marrom diferenciando-as das demais presentes. Objetivo: coletar 200 amostras de excretas de psitacídeos e passeriformes em casas agropecuárias e petshops localizadas em munícipios do estado de Mato Grosso; pesquisa de leveduras do gênero Cryptococcus nas amostras coletadas ; realizar caracterização molecular das espécies eventualmente isoladas C. neoformans e C. gatti através das técnicas de PCR e de sequenciamento; correlacionar os tipos moleculares encontrados em excretas de psitacídeos e passeriformes com àqueles descritos anteriormente por Favalessa e colaboradores (2014) correspondendo aos tipos moleculares descritos para criptococose em humanos no estado de Mato Grosso. Metodologia: Serão coletadas 20 amostras em frascos Falcon, e encaminhadas até o Laboratório de Micologia/Investigação da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). As amostras serão diluídas em 1:4 em solução salina estéril com cloranfenicol (50mg/L); cada amostra será agitada em vortex por três minutos, e ficará em repouso em seguida por trinta minutos. Serão inoculados 100 µL (microlitros) do sobrenadante em dez placas de ágar níger acrescido de amicacina (15mg/L) e cloranfenicol (400mg/L). O material será incubado a 35ºC por 72 horas. As colônias com coloração marrom, serão inoculadas em meio Sabouraud, e após seu crescimento semeadas em meio CGB (Canavanine Glicine Blue) para diferenciação das espécies C. neoformans e C. gatti. Posteriormente, técnicas moleculares serão utilizadas para a confirmação genotípica das espécies isoladas. Através da correlação dos tipos moleculares de Cryptococcus spp isolados em excretas de psitacídeos e passeriformes com os tipos moleculares causadores de criptococose em humanos, será permitido estabelecer possível elo epidemiológico entre a doença fúngica em humanos e o hábito de criar e /ou trabalhar com pássaros.


Palavras-chave


Micologia, fungos, leveduras, cryptococcus, criptococose

Referências


KON, Adriana Satie et al. Guidelines In Cryptococcosis-2008 [consenso Em Criptococose-2008]. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 2008.

SIDRIM JC, Moreira JLB 1999. Fundamentos Clínicos e Laboratoriais da Micologia Médica. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro.

LACAZ, C. da S. et al. Tratado de micologia médica. 2002.