Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação do sinal da insulina no tecido hepático após inibição da citocina TNFα em ratos alimentados com farinha de soja
Thayná Yara Ribeiro Schwarz Godoy

Última alteração: 03-10-18

Resumo


A introdução da soja na dieta ocidental tem sido preconizada devido às suas ações benéficas à saúde, tal como na prevenção de doenças metabólicas. Somam-se a isso, sua ampla utilização pela indústria alimentícia e seu baixo custo, apesar de alto conteúdo proteico. No entanto, estudos mostram que sua utilização como fonte proteica para recuperação de ratos submetidos à desnutrição proteica intrauterina e para animais controle desencadeou resistência à insulina, redução de glicogênio hepático e aumento do marcador inflamatório, o TNFα (Fator de necrose tumoral alfa). Devido à associação entre resistência à insulina e inflamação, propomo-nos a definir o papel do TNFα nesses processos, utilizando o anticorpo monoclonal anti-TNFα, Infliximab. Para tanto, ratos Wistar machos alimentados com 17 ou 6% de proteína durante a gestação e lactação serão mantidos em dieta a 17% de caseína (grupos CC e CL) ou 17% de soja (CS e grupos LS) até aos 90 dias de idade. Para determinar a concentração de Infiximab a ser utilizada, será realizado um teste dose-resposta com as seguintes concentrações: 0, 0.5, 1 e 2 mg/Kg peso, intraperitonealmente (ip), em dose única. Catorze horas depois, serão coletadas amostras de fígado para avaliar o efeito da droga na inibição da via do TNFα.  As amostras serão usadas para determinar o nível de fosforilação de JNK, através de western blotting (WB), utilizando anticorpo específico. A concentração que inibir a fosforilação dessa serina será usada no tratamento com o inibidor. Após inibição da citocina, serão determinados TNFα, IL6, IL-1b, IL-10, glicose, insulina, glucagon, TG, FFA, ALT e AST séricos. Serão também avaliados o conteúdo hepático de glicogênio e lipídios e os níveis proteico e de fosforilação das seguintes moléculas:  fosfo-IRS-1 Ser, fosfo-IRS-2/IRS-2 Ser; Akt1 e 2, fosfoAkt1 e fosfoAkt2 , NFk-B,  pJNK,  PDE3B,  TNFα, GS (glicogênio sintase) e GP (glicogênio fosforilase) por WB. Os procedimentos experimentais foram aprovados pela CEUA (Número Processo 23108.123676 / 2015-62).


Palavras-chave


Resistência a insulina, fígado, ratos;