Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
O sofrimento psíquico no ambiente de trabalho
Amanda Carolina Souza Silva

Última alteração: 30-09-18

Resumo


A presente pesquisa é fruto das reflexões dos impactos do sofrimento psíquico no ambiente de trabalho. Busca-se compreender, através de uma análise contextual contemporânea, que tem como base teórica a abordagem conceitual de sofrimento psíquico feita por Cristophe Dejours, como o sofrimento psíquico surge, reverbera na subjetividade do trabalhador e se manifesta no ambiente laboral. Para tanto, o artigo analisa a relação homem e trabalho conferindo destaque aos reflexos das mudanças que reestruturaram a produção do trabalho no bem-estar e na saúde mental dos trabalhadores. Em seguida procura elucidar os aspectos que engendram o sofrimento psíquico no trabalho, e por fim descreve a tutela jurídica do ambiente de trabalho, correlacionando a necessidade de proteção do ambiente laboral para prevenção e manutenção da saúde psíquica do trabalhador. Como resultado da pesquisa pôde-se verificar que o sofrimento psíquico no trabalho pode ter gênese na organização produtiva do trabalho e /ou nas relações interpessoais, mas também têm influência significativa da estrutura psíquica do próprio indivíduo. Sob este enfoque, mais do que enaltecer a necessidade indubitável da regulamentação jurídica dos riscos psicossociais, verifica-se a necessidade de se repensar coletivamente o modelo de sociedade e de organização produtiva atual de trabalho, que exalta o aumento da competitividade, estimula o medo, a insegurança, a sensação de descartabilidade e a expropriação da subjetividade do trabalhador. A pesquisa foi realizada primordialmente através de pesquisa bibliográfica e documental e o procedimento foi centrado nos métodos histórico e dedutivo.

 


Palavras-chave


Sofrimento psíquico; Meio ambiente do trabalho; Saúde Mental

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. Tradução Alfredo Bosi. 5° ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental. 7a ed. Rio de Janeiro, Ed: Lumen Juris, 2004.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Trad. Roberto Raposo. 13 a ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

AREOSA, João; NETO, Hernâni Veloso. MANUAL SOBRE RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO. Sociedade dos Riscos emergentes. Coleção Ricot, Civeri publishing, 2014.

BARUKI, Luciana Veloso. Riscos Psicossociais e a saúde mental do trabalhador: por um regime jurídico preventivo. São Paulo. Ed: LTr, 2015.

BAHIA, Carolina Medeiros, et al, Coordenador José Rubens Morato Leite. Manual de Direito AMBIENTAL. São Paulo. Saraiva, 2015.

BACKES, Airton Luiz. Trabalho e subjetividade: Sofrimento psíquico em contexto de mudanças organizacionais. Gestão e Sociedade. Belo Horizonte. v 6, Maio/ Agosto 2012 – ISSN 1980-5756.

BARROS, Alice Monteiro de. Curso de Direito do Trabalho. 3. ed. rev e ampl. São Paulo: LTr, 2007.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Direito a um trabalho com dignidade. – Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, 2013.

BRASIL, Auxílios-doença acidentários e previdenciários concedidos segundo os códigos da Classificação Internacional de Doenças – CID-10. Disponível em: http://www.previdencia.gov.br/dados-abertos/estatsticas/tabelas-cid-10/. Acesso em 02 de out.2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Portaria nº 3.214 de 08 de junho de 1978 NR - 5. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. In: SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Disponível em <http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_09_at.pdf>. Acesso em 29 março de 2017.

CALVO, Adriana. O direito fundamental à saúde mental no ambiente de trabalho: o combate ao assédio moral institucional: visão dos tribunais trabalhistas. São Paulo. Editora LTr, 2014.

DEJOURS, Cristophe. A Loucura do Trabalho: Estudo de Psicopatologia do Trabalho. 5a ed. São Paulo: Cortez-Oboré, 2000.

________. O Fator Humano. 5ª.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

________. A banalização da injustiça social. 7a ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

________. Trabalho e emancipação. Franck Soudant (tradução). Brasília: Paralelo 15, 2012.

________. Sexualidade e Trabalho. Franck Soudant (tradução). Brasília: Paralelo 15, 2012.

FERNANDES, Fábio. Meio ambiente geral e meio ambiente do trabalho: uma visão sistêmica. São Paulo. LTr, 2009.

FIGUEIREDO, Guilherme José Purvin. Direito Ambiental e a saúde dos trabalhadores. São Paulo, Ed: LTDA, 2000.

GARCEZ, Gabriela Soldano. Do direito fundamental ao ambiente de trabalho equilibrado. Revista de Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v. 10, n. 10, p. 314-339, jul./dez. 2011.

FONSECA, Ricardo Tadeu Marques da. Saúde Mental para e pelo trabalho. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores. São Paulo: LTr, 2015.

FLACH, Leonardo. Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo: analisando uma revista de negócios. Revista Psicologia & Sociedade, vol V, 2009. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/20881/000728696.pdf?sequence=1>. Acesso em: 02 out de 2017.

FREUD, Sigmund. Mal-estar na civilização [1930]. In ESB – obras completas. Vol XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

GUIMARÃES, Liliana Andolpho Magalhães. Fatores de Risco Psicossociais no Trabalho: Atualizações. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores, volume 2. São Paulo: LTr, 2015.

INSTITUTO SINDICAL DE TRABAJO AMBIENTE E SALUD (ISTAS). Organización del trabajo, salud y riesgos psicosociales: Guia para la intervención sindical em organización de trabajo e riesgos psicosociales. Disponível em: <http://www.istas.ccoo.es/descargas/GUIA%20azul%20psicosociales%2020150.pdf>. Acesso em 13 dez de 2017.

LIMA. Maria Elizabeth Antunes. O nexo causal entre transtornos mentais e trabalho – contribuições para o debate. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores, volume 3. São Paulo: LTr, 2015.

MARANHÃO, Ney. Meio ambiente do trabalho: Descrição jurídico-conceitual. Revista Direitos, Trabalho e Política Social, v. 2, n. 3, jul./dez. 2016.

MARTINS, Ana Luíza Leitão. et. al. O trabalho estressante e os impactos adversos na saúde do trabalhador. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores, volume 2. São Paulo: LTr, 2015.

MATOS, Simão da Silva. Riscos Psicossociais em Trabalhadores na Arábia Saudita. Dissertação de Mestrado do Instituto Politécnico de Setúbal, Setúbal, 2014. Disponível em: <https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/8202/1/Tese%20-%2024-02-2015.pdf>. Acesso em 30 jul de 2017.

MAZZUOLI, Valerio de Oliveira. Curso de direitos humanos. São Paulo: Método, 2014.

MENDES, Ana Magnólia Bezerra.Aspectos psicodinâmicos da relação homem-trabalho: as contribuições de C. Dejours. Psicol. cienc. prof.. 1995, vol.15, n.1-3, pp.34-38. ISSN 1414-9893.  Disponível em <http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98931995000100009>.Acesso em 01 maio de 2017.

MELO, Raimundo Simão de. Direito Ambiental do Trabalho e a Saúde do Trabalhador. 4a ed. São Paulo: LTr, 2010.

MICHAELIS. Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/trabalho/> Acesso em 12 dez de 2017.

MOLINA, André Araújo. Teoria dos Princípios Trabalhistas: a aplicação do modelo metodológico pós-positivista ao direito do trabalho. São Paulo: Atlas, 2013.

MENDES, Ana Magnólia Bezerra. Aspetos psicodinâmicos da relação homem – trabalho: As contribuições de C. Dejours. Revista Psicologia Ciência e Profissão, vol. 15. Brasília, 1995. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931995000100009>. Acesso em: 02 out de 2017.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro do. A defesa processual do meio ambiente do trabalho.  Revista LTr. São Paulo, ano 63, nº 5, pp. 583-587, maio 1999.

 

NOGUEIRA, Sandro D’Amato. Meio ambiente do trabalho: o princípio da prevenção ambiental. São Paulo: LTr, 2008.

OLIVEIRA, Sebastião Geraldo de Oliveira. Proteção Jurídica à Saúde do Trabalhador. 6. ed.rev.e atual. São Paulo: LTR, 2011.

(ONU) ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração universal dos direitos humanos (1948). Disponível em: <http://www.mj.gov.br/sedh/ct/legis_intern/ddh_bib_inter_universal.htm.>. Acesso em: 20 jul de 2017.

­­­­________. Declaração de Estocolmo sobre o Meio Ambiente Humano. In: Anais Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano. Estocolmo, 1972. Disponível em: <http://www.dhnet.org.br/direitos/sip/onu/doc/estoc72.htm|>. Acesso em 11 jul de 2017.

ROLO, João Carvalho. Sociologia da Saúde e da Segurança no Trabalho, IV Congresso Português de Sociologia. Coimbra, 2000. Disponível em:< www.aps.pt/ivcongressoactas/acta198pdf>. Acesso em 30 jul de 2017.

PENIDO, Laís de Oliveira; PERONE, Giancarlo. Saúde Mental no Trabalho: esclarecimentos metodológicos para juristas. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores, volume 2. São Paulo: LTr, 2015.

SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. 5.ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

SILVA, José Afonso da. Direito ambiental constitucional. 5. Ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

SILVA, José Antônio Ribeiro de Oliveira. A saúde do trabalhador como um direito humano: conteúdo essencial da dignidade humana. São Paulo: LTr, 2008.

SIRVINKAS, Luís Paulo. Manual de Direito Ambiental 14 ed. São Paulo. Saraiva, 2016.

SILVA. Edith Seligman. et. al. As relações contemporâneas entre meio ambiente do trabalho e saúde mental. In: Direito Ambiental do Trabalho: apontamentos para uma teoria geral. Guilherme Guimarães Feliciano [et al], coordenadores, volume 2. São Paulo: LTr, 2015.

SILVA, José Antônio Ribeiro de Oliveira . A Saúde do trabalhador como um direito humano: Contéudo essencial da dignidade humana. São Paulo: LTr, 2008.

SIRVINKAS, Luís Paulo. Manual de Direito Ambiental. 14 ed. São Paulo. Saraiva, 2016.

ROCHA, Julio Cesar de Sá da. Direito Ambiental do Trabalho: mudança de paradigma na tutela jurídica à saúde do trabalhador. 2.ed. rev.e atual. São Paulo: Atlas, 2013.

WANDELLI, Leonardo        Vieira. O         Direito Humano          e          Fundamental   a Trabalho:fundamentação e exigibilidade. São Paulo: LTR, 2012.

ZIMMER KNAPIK, Márcia Carneiro. O Trabalho Humano: das sociedades comunais ao modo de produção feudal. Caderno 2 da série “História Social do Trabalho”. 2ª edição. Curitiba. 2005. Disponível em: <http://www.cefuria.org.br/files/2012/08/cartilha2.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2017.