Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Bioprospecção etnobotânica, química e farmacológica de plantas medicinais de Mato Grosso utilizadas como cicatrizantes de feridas
Cláudio Luís Venturini, Domingos Tabajara de Oliveira Martis

Última alteração: 05-10-18

Resumo


No mercado farmacêutico brasileiro existem vários medicamentos disponíveis para o tratamento de feridas, no entanto, alguns são ineficazes e atuam, em geral, por suas propriedades antibióticas e/ou anti-inflamatórias. As feridas agudas e complexas geram uma enorme carga sobre o sistema de saúde, tanto em termos de custos e a necessidade intensidade de cuidados das feridas complexas, e as plantas medicinais e outros produtos naturais são recursos terapêuticos amplamente utilizados popularmente no auxílio da cicatrização de feridas cutâneas, podendo afetar duas das três fases do processo de reparo. Existem no mercado alguns fitoterápicos para o tratamento de feridas porem são escassos os de origem em nossa flora nativa. O estado de Mato Grosso caracteriza-se por sua rica diversidade vegetal e étnico-cultural, onde muitos remédios caseiros são utilizados sem comprovação científica. A utilização de remédios caseiros pelas populações tradicionais é uma realidade mundial, principalmente para o tratamento de feridas na pele. Esse projeto tem como objetivo triar 10 extratos hidroetanólico de plantas medicinais de Mato Grosso com maiores citações de uso como vulnerária em modelo de scratch assay, com vista a selecionar 1 extrato para estudo de atividade e mecanismos de ação cicatrizantes. Serão realizados ensaios de toxicidade oral e dérmica, avaliação da atividade e mecanismo de ação cicatrizante in vivo em feridas por excisão e incisão, com a determinação da quantidade e tipos de colágenos, efeito antioxidante e determinação de citocinas quimiocínas e fatores de crescimentos marcadores de cada fase da cicatrização. A avaliação da atividade e mecanismo de ação cicatrizante in vitro serão realizados em cultura celular, determinado os marcadores expressos, quantificação de colágeno, avaliação da expressão de p-ERK, oxido nítrico, proliferação e migração de fibroblastos. Além disso, serão realizados ensaios químicos quali e quantitativo do extrato selecionado, para identificar as classes de metabolitos presentes. Espera-se com a realização desse projeto, avançar na validação pré-clínica do extrato hidroetanólico selecionado como cicatrizante de feridas e gerar, adaptar e transferir conhecimentos técnico-científicos importantes para o estado de Mato Grosso, principalmente na área do medicamento fitoterápico, a qual consiste em uma das áreas prioritárias atualmente para a região.


Palavras-chave


cicatrização; feridas; plantas medicinais